Palmeiras vai às quartas e pega o Flu

Único paulista classificado para as quartas-de-final da Copa dos Campeões, o Palmeiras foi indiscutivelmente superior ao Atlético-MG, conseguiu vitória por 2 a 1 e já figura como um dos favoritos à conquista do título. Somou 7 pontos nos três jogos que disputou e terminou a primeira fase como campeão do Grupo D. No meio de semana, o time enfrenta o Fluminense, segundo colocado do Grupo A, em jogo inicialmente marcado para Teresina. A aposta do técnico Vanderlei Luxemburgo de pôr Arce no meio-de-campo e escalar Leonardo na lateral deu excelente resultado. O ex-vascaíno, embora tenha demonstrado falta de entrosamento com os companheiros, fez boas jogadas e mostrou que poderá ser bastante útil ao time neste semestre. E o paraguaio também foi bem em sua nova função. Fez até gol. O Atlético, que entrou em campo precisando vencer por três gols de diferença, começou a partida com três atacantes, Renaldo, Marques e Guilherme. Tinha a posse de bola, mas não era capaz de transformá-la em oportunidades de gol. Faltavam criatividade e categoria aos jogadores de meio-de-campo. O Palmeiras adotou estratégia inteligente. Esperou o adversário para explorar os contra-ataques. Criou as melhores chances, principalmente com Muñoz, e abriu o placar aos 25 minutos. O colombiano passou para o atacante Nenê, que finalizou com força, no ângulo esquerdo do goleiro Edmar. Pouco mais tarde, foi a vez de Muñoz oferecer a bola a Arce, que teve de chutar duas vezes para marcar seu primeiro gol como meia. "Foi um contra-ataque rápido e um excelente cruzamento do Muñoz", comentou Arce, que disse ter ficado satisfeito com seu novo posicionamento. O Atlético-MG precisaria fazer cinco gols no segundo tempo para avançar na competição. A situação era tão cômoda para o Palmeiras que o time relaxou na marcação e permitiu que os mineiros chegassem à meta do goleiro Sérgio com perigo. A equipe do técnico Geninho conseguiu diminuir o placar com Hélcio, que aproveitou cruzamento de Mancini: 2 a 1. No fim, o Palmeiras apenas tocou a bola esperando o fim do jogo e o Atlético perdeu a cabeça. Nem e Hélcio foram expulsos por terem cometido faltas violentas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.