Sergio Neves/AE
Sergio Neves/AE

Palmeiras vai querer se redimir, diz Roberto Carlos

Lateral não acredita em corpo mole dos palmeirenses e aposta em vitória sobre o Fluminense em Barueri

AE, Agência Estado

25 de novembro de 2010 | 22h01

Um dos líderes do elenco do Corinthians, o lateral Roberto Carlos disse nesta quinta-feira que acredita que o time do Palmeiras tentará se redimir no jogo de domingo, contra o Fluminense, pelo Brasileirão, depois da eliminação na semifinal da Copa Sul-Americana. Por isso mesmo, ele não acredita em "corpo mole" dos palmeirenses só para prejudicar o rival Corinthians na luta pelo título.

Veja também:

linkAndrés vê poucas chances de título

linkBruno Cesar é poupado no treino

linkOs grupos da Libertadores

Com uma passagem de sucesso pelo Palmeiras no começo da década de 90, Roberto Carlos diz conhecer bem o ambiente no Palestra Itália. E sabe da pressão que existe no clube para se recuperar depois de um resultado ruim como o que aconteceu na noite de quarta-feira, quando houve a derrota para o Goiás no Pacaembu, que provocou a eliminação palmeirense na Copa Sul-Americana.

"Em relação ao Palmeiras, depois do que vi ontem, quando todos achavam que ia ganhar e era o favorito, mas caiu por mérito do adversário, a cobrança será para apagar aquela imagem. Joguei lá por dois anos e seis meses e sei como é difícil quando você perde, sei como é o torcedor", discursou Roberto Carlos, confiando na integridade dos profissionais palmeirenses. "Não sei se Felipão usará o time titular, mas espero que seja como sempre foi, correto, e coloque o melhor para recuperar a imagem de ontem. Espero que o Palmeiras entre e faça um grande jogo para recuperar um pouco do que aconteceu diante do Goiás."

Apesar do discurso de Roberto Carlos, parte da torcida palmeirense pede para que o time entregue o jogo no domingo e seja derrotado pelo Fluminense, que é rival direto do Corinthians na luta pelo título do Brasileirão. "O Palmeiras joga em Barueri e, teoricamente, é o favorito. Tem grandes profissionais lá, não sei o que passa na cabeça deles, mas existe também um escudo na camisa para ser honrado", disse o lateral corintiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.