Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras vai receber nesta semana R$ 4 milhões da Crefisa como prêmio pelo título estadual

Entre recompensas da patrocinadora e da própria FPF, clube embolsa R$ 9 milhões pela conquista diante do Corinthians

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2020 | 11h18

O Palmeiras vai receber R$ 4 milhões pela Crefisa como prêmio por ter conquistado o Campeonato Paulista de 2020. A recompensa estava fixada no contrato firmado entre clube e patrocinadora master no começo do ano passado, quando houve a renovação do acordo mais três anos entre os presidentes Mauricio Galiotte e Leila Pereira. O pagamento será concluído até no máximo a próxima sexta-feira.

Além do valor repassado pela Crefisa, o Palmeiras contará também com a própria premiação estipulada pela Federação Paulista de Futebol (FPF). Como campeão, o clube alviverde receberá R$ 5 milhões. Portanto, somente pela vitória no Estadual o time terá em caixa mais R$ 9 milhões, montante que será utilizado principalmente para bancar premiações dos atletas e cobrir despesas geradas pela pandemia.

O contrato em vigor entre Palmeiras e Crefisa estabelece diferentes valores de premiação de acordo com os feitos na temporada. O Estadão apurou com fontes ligadas ao clube que para o caso de conquista da Copa Libertadores, a recompensa será de R$ 12 milhões. Para o título da Copa do Brasil, o repasse será de R$ 6 milhões. Para o Campeonato Brasileiro, está prevista a transferência de R$ 4 milhões se o time se classificar para a fase de grupos e R$ 10 milhões se for o campeão.

A equipe ainda vai continuar atrás das outras premiações e títulos pelos próximos meses. O Palmeiras estreia no Campeonato Brasileiro nesta quarta-feira, diante do Fluminense, no Rio de Janeiro. O retorno à disputa da Copa Libertadores será em setembro. O time do técnico Vanderlei Luxemburgo lidera o seu com grupo com duas vitórias em dois jogos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.