Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras vê chance de receber até R$ 49 milhões com negociação de Deyverson

Dono de 70% dos direitos do jogador, clube pode embolsar também bônus por metas

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2019 | 11h08

O Palmeiras aguarda o atacante Deyverson aceitar a proposta do Shenzhen FC, da China, para poder contabilizar um possível desfecho lucrativo da negociação. A investida do time asiático pelo jogador pode render para o time alviverde até R$ 48,7 milhões nos próximos anos. O valor inclui desde a valor a ser pago pela transferência, assim como o possível pagamento de um bônus.

A oferta do Shenzhen é de R$ 51,3 milhões (12 milhões de euros). Como é dono de 70% dos direitos econômicos, o Palmeiras receberia cerca de R$ 35,9 milhões. O restante ficaria com o Levante, da Espanha, detentor dos outros 30%. Porém, a proposta vinda da China ainda contempla o possível pagamento de um bônus de R$ 12,8 milhões nos próximos anos de acordo com metas a serem atingidas por Deyverson no novo clube.

Da parte do Palmeiras, a proposta foi bem recebida. A diretoria aguarda agora o atacante confirmar o interesse e se transferir para o futebol asiático. Deyverson perdeu espaço no clube depois de ter cuspido no corintiano Richard no clássico realizado no começo de mês. O atleta recebeu uma multa de R$ 350 mil, suspensão de seis jogos no Campeonato Paulista e uma bronca do técnico Luiz Felipe Scolari.

Contratado por R$ 18,5 milhões em 2017 com recursos da Crefisa, Deyverson é mais um jogador do Palmeiras a despertar interesse da China. O atacante Dudu e o meia Bruno Henrique receberam propostas, porém renovaram com o clube alviverde. O atacante Borja foi outro a ter recebido recentemente sondagens. No entanto, ao contrário dos demais casos, a diretoria não vai propor a Deyverson um contrato para que ele possa continuar no clube e recusar a oportunidade na China.

Para Entender

Guia do Paulistão 2019: tudo o que você precisa saber sobre a competição

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo vão iniciar competição com menos de três semanas de pré-temporada

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.