Palmeiras vence Botafogo no fim: 2 a 1

Foi o típico jogo que valeu apenas pelo resultado, já que o futebol mostrado pelo Palmeiras esteve bem abaixo do que os torcedores esperavam. Mas a sofrida vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo, hoje, no Palestra Itália - conquistada nos últimos minutos -, deixa o time em boa situação no Campeonato Brasileiro: com 65 pontos, subiu para o 5.º lugar na classificação e mantém chances de obter vaga na Taça Libertadores ou, para os mais otimistas, o título nacional. O time carioca se complicou, pois permanece com 40 pontos, na 21.º colocação. O Palmeiras teve mais posse de bola que o adversário, tomou a iniciativa do jogo, mas ao contrário do que se esperava, foi bem mais lento do que na vitória sobre o Atlético-PR. Com muitas dificuldades na saída para o ataque, a bola demorou a chegar a Pedrinho e Ricardinho.O jovem atacante, que novamente atuou no lugar de Osmar, lesionado, teve as melhores chances de gols. Aos 20, foi lançado pela direita, mas finalizou mal. Três minutos depois, cabeceou com perigo, no cruzamento de Pedrinho. Aos 40, no único momento de pressão do Palmeiras no primeiro tempo, Ricardinho bateu forte, dentro da área, e Jeferson pegou no susto.Esforçado, o Botafogo também ameaçou, especialmente pela direita. Ruy recebeu de Caio, bateu cruzado e assustou Sérgio. O goleiro do Palmeiras fez ótima defesa quando Ricardinho recebeu na entrada da área, girou com rapidez e tentou acertar o canto esquerdo.Na etapa final, brilhou a estrela de Claudecir. O meia - que se recuperou na última hora de lesão no calcanhar - entrou no lugar de Gláuber e aproveitou a primeira oportunidade para abrir o placar: logo aos três minutos, após o escanteio cobrado por Correia, subiu entre os zagueiros e desviou para as redes.Diego Souza e Ruy se desentenderam e levaram cartão vermelho. As expulsões prejudicaram mais os cariocas, que perderam a principal opção ofensiva.Mas o Palmeiras não aproveitou: continuou sem velocidade e ainda perdeu algumas oportunidades para definir o resultado - em alguns momentos, o time deu a impressão de que estava displicente, pensando que poderia chegar o gol a qualquer momento.Aos 12, Ricardinho apareceu livre frente à frente com Jeferson e bateu em cima do goleiro - quando poderia ter tocado para Pedrinho, livre na esquerda. Três minutos depois, Correia arriscou de fora da área e quase encobriu Jeferson, que se esforçou muito para pôr a escanteio.No único contra-ataque que conseguiu articular, o Botafogo chegou à igualdade. Aos 33, Ricardinho foi lançado pela esquerda e bateu cruzado. O goleiro Sérgio saiu para cortar o cruzamento, mas foi surpreendido com a finalização certeira.O desespero tomou conta da torcida, que via o time pressionar mas sem organização. Aos 44, o lance salvador. Pedrinho arriscou de fora da área, a bola resvalou na defesa e sobrou para Correia. O volante teve calma para dominar e finalizar pelo alto, sem defesa para Jeferson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.