Palmeiras vence Fluminense e lidera

Alex ressuscitou neste domingo e foi decisivo na vitória do Palmeiras sobre o Fluminense, por 3 a 2, no Palestra Itália, resultado que mantém a equipe paulista na liderança isolada do Torneio Rio-São Paulo, com 19 pontos. Bastante hostilizado pelos torcedores nos últimos jogos, o meia palmeirense enfim ?acordou? e teve a primeira boa atuação no seu retorno ao clube. Marcou dois gols, deixou o campo aplaudido e ouviu seu nome gritado pela torcida, fato que ainda não havia ocorrido em 2002. O goleiro Marcos, outro que vinha se desentendendo com o torcedor palmeirense, recuperou-se depois das falhas contra o América, na rodada anterior. A exemplo de Alex, foi fundamental para a conquista dos três pontos. Defendeu pênalti cobrado por Roger ainda quando o placar apontava 0 a 0 e mostrou segurança em outros lances. A derrota deixa Oswaldo de Oliveira em situação bastante delicada no Fluminense. Afinal, o clube tem apenas 8 pontos na competição, ocupa a 12ª colocação e está bem longe da zona de classificação. É possível que o treinador não suporte a pressão e deixe o cargo. O jogo foi emocionante nos primeiros 45 minutos. Os dois times procuraram o ataque, proporcionando grandes jogadas às 13 mil pessoas que foram ao Palestra Itália. A equipe do Rio teve a primeira grande chance. Flávio foi derrubado por Daniel dentro da área. Aos 13, Roger cobrou no canto direito de Marcos, que acertou o lado e fez ótima defesa. A partir daí, o Palmeiras animou-se e conseguiu abrir o placar, por meio de seu principal artifício. O lateral paraguaio Arce cruzou na cabeça de Itamar, que não desperdiçou: 1 a 0. Logo em seguida, Christian chutou, a bola bateu no travessão e, no rebote, Alex apenas completou de cabeça. Com a boa vantagem, o time da casa relaxou e permitiu o empate ao adversário. Flávio chutou forte depois de duas defesas espetaculares de Marcos e diminuiu. Magno Alves, de fora da área, igualou: 2 a 2. Quando a situação começava a se complicar, a estrela de Alex brilhou novamente. Ele aproveitou cruzamento de Itamar, antecipou-se aos zagueiros e marcou o terceiro gol palmeirense. Na segunda etapa, praticamente não houve futebol. A chuva prejudicou as duas equipes, que quase não conseguiram produzir. Os jogadores do Palmeiras, com muita força de vontade, deram chutões para todos os lados e seguraram a vitória e a liderança.

Agencia Estado,

03 Março 2002 | 18h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.