Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Palmeiras vence o Bahia e afasta risco de rebaixamento

Com gols de Marcos Assunção e Ricardo Bueno, alviverde venceu e não teme mais o descenso

Flavio Leonel, Agência Estado

20 de novembro de 2011 | 21h29

SÃO PAULO - O Palmeiras derrotou neste domingo, 20, o Bahia por 2 a 0, no estádio de Pituaçu, em Salvador, pela 36.ª antepenúltima rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, a equipe do técnico Luiz Felipe Scolari interrompeu um jejum de dez jogos sem vitória e afastou definitivamente qualquer chance de rebaixamento para a Série B. Mais do que isso, voltou a disputar, com chances reais, uma vaga na Copa Sul-Americana de 2012.

Com gols do atacante Ricardo Bueno e do volante Marcos Assunção, os paulistas subiram para a 12.ª posição da competição e chegaram aos 46 pontos. O Bahia, por sua vez, com 42, permaneceu em situação ainda perigosa, na 15.ª colocação, e a quatro pontos da zona do rebaixamento.

A equipe alviverde chegou a Salvador tendo à disposição a maioria dos jogadores que vêm atuando nas rodadas recentes. Para reforçar o time de Felipão, o meia Valdívia voltou a jogar, depois de três rodadas de ausência em virtude de compromissos com a seleção chilena e de suspensões.

Pelo lado do Bahia, o técnico Joel Santana contou com três desfalques: o lateral-esquerdo Dodô, que teve rompimento do ligamento cruzado do joelho direito na partida anterior contra o Internacional, além do lateral-direito Marcos e o volante Fabinho, que não jogaram neste domingo por conta de suspensão. Em contrapartida, contou com três retornos importantes: o atacante Souza e a dupla de zaga titular, Paulo Miranda e Titi.

JOGO

O jogo começou disputado, com a equipe da casa tomando a maior iniciativa, enquanto que o Palmeiras iniciou com marcação e contra-ataque. Aos poucos, o time alviverde ganhou terreno e também começou a pressionar os comandados de Joel Santana. A primeira jogada de maior perigo foi construída pela equipe paulista, aos 10 minutos. Após cruzamento na área, Ricardo Bueno cabeceou a bola, que foi defendida pelo goleiro Marcelo Lomba.

A equipe do Palmeiras começou dominar o meio de campo, com Valdívia acionando o atacante Luan e o lateral-esquerdo Gerley pela esquerda em jogadas que, se não levavam grande perigo ao gol da equipe adversária, pelo menos evitava que os baianos chegassem à meta alviverde.

Aos 20 minutos, em uma cobrança de escanteio de Marcos Assunção, os paulistas abriram o marcador. Luan cabeceou a bola na trave e ela sobrou na linha do gol para o zagueiro Leandro Amaro e para o centroavante Ricardo Bueno. Ambos entraram juntos na bola, mas o último toque, de cabeça, foi do atacante: 1 a 0.

Após o gol, o Bahia passou a pressionar mais o Palmeiras, mas sem lances agudos de ataque. O time alviverde, por sua vez, armava contra-ataques comandados por Valdívia, que, claramente, dava um toque mais de qualidade à equipe e foi um dos nomes mais importantes do jogo.

Aos 29 minutos, a equipe da casa levou grande perigo, depois de uma bonita jogada do atacante Lulinha. Ele driblou a defesa palmeirense na entrada da grande área e chutou forte, para importante defesa do goleiro Deola. Aos 38, uma cobrança de falta do zagueiro Thiago Heleno assustou a torcida baiana. Ele mandou um forte chute rasteiro para o gol de Marcelo Lomba, que rebateu a bola e aliviou o perigo.

O primeiro tempo continuou com o Palmeiras marcando forte o Bahia, que não conseguia chegar com intensidade ao gol do adversário. No final da etapa, a torcida local, que lotou o estádio, esboçou algumas vaias ao clube tricolor, enquanto a torcida alviverde, também em grande número, fez festa para seus jogadores.

Na volta para o segundo tempo, o técnico Joel Santana promoveu a primeira alteração da partida. Ele tirou o volante Camacho para a entrada do atacante Júnior. O Palmeiras continuou com a mesma formação.

A primeira oportunidade da etapa final foi do Palmeiras. Aos 2 minutos, o atacante Luan entrou pelo lado esquerdo da grande área, livrou-se dos oponentes e chutou forte. O goleiro Marcelo Lomba rebateu a bola, que sobrou para Patrik. O meia alviverde, com o gol aberto, chutou por cima do travessão.

Aos 5 minutos, o foi a vez do Bahia deixar a torcida palmeirense angustiada. Depois de um bate-rebate na área, a defesa alviverde tirou a bola perto da linha do gol, depois de um chute seco do atacante Júnior. Aos 7, os paulistas deram o troco, com Valdívia chutando forte de fora da área para difícil defesa de Marcelo Lomba, que rebateu pela linha de fundo.

Aos 13 e aos 14 minutos, Luiz Felipe Scolari e Joel Santana fizeram substituições em suas equipes. Primeiro, o técnico do Palmeiras tirou o meia Patrik para a entrada do volante João Vitor. Na sequência, o treinador do time baiano tirou o meia Carlos Alberto, vaiado, para a entrada de Nikão.

O Palmeiras dominava a partida e, aos 15 minutos, depois de um lindo passe de Valdívia, o lateral-esquerdo Gerley perdeu um gol cara a cara com o Marcelo Lomba. A bola quase sobrou também para o centroavante Ricardo Bueno, mas a defesa afastou em tempo.

Aos 27 e aos 28 minutos, ambas as equipes tiveram gols anulados pela arbitragem, que marcou impedimento nos lances. O primeiro foi do Palmeiras, em um lance em que Valdívia mandou a bola para o fundo das redes na pequena área adversária. No minuto seguinte, depois de cobrança de falta, o zagueiro Titi cabeceou e a bola sobrou para Júnior, também na pequena área fuzilar para o gol, não validado pelo juiz.

O Palmeiras continuava criando as melhores oportunidades e, aos 37 minutos, Luan foi protagonista de um mais um lance perigoso. Ele recebeu a bola livre, depois de troca de passes de Valdívia e Dinei, e chutou forte para o gol, para mais uma rebatida de Marcelo Lomba.

Aos 45 minutos, a confirmação do resultado alviverde veio dos pés de Marcos Assunção. Em cobrança de falta, ele bateu com categoria para o fundo das redes de Marcelo Lomba, que sequer pulou na bola, para a festa da torcida alviverde em Pituaçu.

Após o final do jogo, mostrando união, os jogadores do Palmeiras fizeram uma imensa roda e se abraçaram para comemorar a importante vitória. A torcida baiana, em contrapartida, não poupou os atletas tricolores, que não escaparam de uma imensa vaia.

O próximo compromisso do clube alviverde no campeonato será no próximo domingo contra o São Paulo, no estádio do Pacaembu. O Bahia, por sua vez, jogará na Vila Belmiro, também no domingo, contra o Santos.

BAHIA 0 x 2 PALMEIRAS

BAHIA - Marcelo Lomba, Jancarlos, Paulo Miranda, Titi e Hélder (Maranhão); Camacho (Júnior), Fahel, Diones e Carlos Alberto (Nikão); Lulinha e Souza. Técnico: Joel Santana.

PALMEIRAS - Deola, Cicinho, Thiago Heleno, Leandro Amaro e Gerley; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Patrik (João Vítor) e Valdívia (Chico); Luan e Ricardo Bueno (Dinei). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gols - Ricardo Bueno, aos 20 minutos do primeiro tempo; Marcos Assunção, aos 45 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Fahel (Bahia); João Vítor (Palmeiras).

Árbitro - Cláudio Francisco Lima e Silva (SE).

Renda e público - Não disponíveis.

Local - Estádio de Pituaçu, em Salvador (BA).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.