Palmeiras vence o Santos por 4 a 3 no clássico paulista, na Vila Belmiro

Robert comanda vitória alviverde no Campeonato Paulista com três gols; time na luta pela semifinal

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

14 de março de 2010 | 19h05

Paulo Pinto/AE

Jogadores do Palmeiras imitam os santistas e dançam para comemorar um dos gols

SÃO PAULO - Palmeiras e Santos fizeram jus ao significado da palavra clássico neste domingo, na Vila Belmiro, com uma partida épica, terminada com a vitória da equipe alviverde por 4 a 3, de virada, válida pela 14.ª rodada do Campeonato Paulista.

Veja também:

lista Paulistão - Todas as notícias do campeonato

tabela Paulistão - Classificação/Tabela

Com o resultado, o Palmeiras chega aos 22 pontos, na sétima colocação, mantendo-se na briga por uma vaga às semifinais da competição, o que parecia improvável na semana passada com a derrota em casa por 3 a 1 para o Santo André. Já o Santos, que até então conhecia apenas bons resultados, continua com 32, na liderança.

O destaque do clássico é o atacante Robert. Criticado pela torcida, marcou três gols, inclusive o decisivo, num chute muito forte de fora da área, quando o empate parecia certo. Diego Souza, que por pouco não foi expulso por uma confusão com Pará, também jogou bem, com assistências, além de um gol. "Mostramos que temos qualidade, vencemos uma boa equipe, que nos menosprezou. Hoje, o Palmeiras foi mais aguerrido", desabafou.

A OUSADIA SANTISTA

Mostrando confiança em sua equipe, o técnico Dorival Junior colocou em campo uma escalação ofensiva, com apenas Arouca como volante de marcação. A ousadia deu certo, e o Santos tratou de pressionar o Palmeiras com rápidos toques, chegando ao primeiro gol logo aos 10 minutos, quando, após bela jogada do meio-campo, Pará tentou cruzar, mas teve sorte e acertou o ângulo esquerdo do gol alviverde.

A expectativa da torcida santista de ver mais uma goleada aumentou ainda mais aos 31 minutos, quando Ganso tocou para a entrada de Neymar na área, que teve o trabalho de apenas bater o goleiro Marcos com um toque meio desajeitado.

O resultado parcial fez com que alguns jogadores do Santos cometessem os velhos erros: muita firula, pouca objetividade, provocando a irritação do adversário. Ganso destoava, com bons toques e cadência no meio-campo. Robinho, no entanto, esteve aquém do esperado.

 Santos 3
Felipe; Wesley (Madson), Edu Dracena, Durval e Pará    ; Arouca, Marquinhos (Maranhão), Ganso e Robinho    ; Neymar     e André (Zé Eduardo)
Técnico: Dorival Jr
 Palmeiras 4
Marcos    ; Eduardo     (Márcio Araújo), Léo    , Danilo e Armero; Pierre, Edinho     (Ivo), Cleiton Xavier e Diego Souza; Ewerthon (Lincoln) e Robert
Técnico: Antônio Carlos
Gols: Pará, aos 10; Neymar, aos 31; Robert, aos 41 e aos 43 minutos do primeiro tempo; Diego Souza, aos 12; Madson, aos 35, e Robert, aos 42 minutos do segundo tempo

Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado

Renda: R$ 543.945,00

Público: 11.452 pagantes

O AGUERRIMENTO PALMEIRENSE

Irritado pela postura santista, o Palmeiras, que até então era apenas o coadjuvante do clássico, tratou de sair para o ataque. Comandado por Diego Souza, a equipe alviverde empatou o jogo em apenas dois minutos, com dois gols de Robert. O primeiro aconteceu aos 41, com o cabeceio do atacante após cobrança de falta. Aos 43, um belo chute de primeira, entre os zagueiros santistas, decretou o segundo gol.

Finalmente com a marcação postada e boa saída para o ataque, o Palmeiras virou o placar aos 12 minutos do segundo tempo, agora com Diego Souza. A equipe era outra, com boa marcação, mesmo diante da rapidez do adversário.

A vitória, no entanto, não estava garantida. Dorival Jr colocou o Santos mais à frente, e o empate aconteceu aos 35, com Madson, após passe de Ganso. Mas Robert tratou de mostrar de quem era o dia. Aos 42, acertou um belo chute de fora da área para vencer o goleiro Felipe e comemorar a vitória palmeirense.

Agora, as duas equipes se preparam para a segunda fase da Copa do Brasil. Curiosamente, o destino é o mesmo para os rivais: Belém do Pará. O Palmeiras encara o Paysandu na quarta-feira, enquanto o Santos enfrenta o Remo, na quinta.

NOTAS

Neymar foi expulso por entrada por trás em Pierre +++ Ewerthon e Lincoln fizeram suas respectivas estreias pelo Palmeiras +++ Santos conheceu sua segunda derrota. Antes havia perdido para o Mogi Mirim por 2 a 1, ainda na segunda rodada do Paulistão +++ Sob o comando de Antônio Carlos, Palmeiras soma duas vitórias em clássicos. A primeira foi diante do São Paulo por 2 a 0 +++ A Vila Belmiro foi palco de 17 gols nos últimos dois jogos +++ Marcos agora é o segundo goleiro com o maior número de jogos pelo Palmeiras, com 483 jogos, passando o lendário Joaquim de Moraes. O primeiro é Leão, com 617.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.