REUTERS/Carla Carniel
REUTERS/Carla Carniel

Palmeiras derrota Santos na Vila Belmiro e assume liderança do Brasileirão

Raphael Veiga perde primeiro pênalti com a camisa alviverde, mas Gustavo Gómez marca de cabeça e garante triunfo da equipe comandada de forma interina por João Martins

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2022 | 18h12

O Palmeiras é o líder do Campeonato Brasileiro. Com uma vitória difícil diante do Santos por 1 a 0 neste domingo, 29, na Vila Belmiro, a equipe alviverde chegou aos 15 pontos e agora “seca” o arquirrival Corinthians, que ainda joga neste domingo diante do América. Depois de um início irregular, a equipe que fez a melhor campanha da história da fase de grupos da Libertadores já está entre os líderes do torneio. O Palmeiras não perde há 14 jogos na melhor série com Abel Ferreira. 

O gol da vitória foi do zagueiro Gustavo Gómez, após cobrança de escanteio com desvio em Lucas Pires aos 34 do segundo tempo. O meia Raphael Veiga desperdiçou um pênalti pela primeira vez em sua passagem pelo clube alviverde. Até o jogo de hoje, ele havia convertido 24 penalidades. 

O Santos, que chegou a liderar a competição, não vence há três rodadas – antes do clássico, o time havia perdido para o Goiás e empatado contra o Ceará. Diante do Palmeiras, o jejum é bem maior. Desde 2019, o time da Vila Belmiro não vence o rival. Já foram nove jogos. 

Desfalcado pelas convocações da data Fifa, entre elas, a de Danilo, o motor do meio-campo que foi para a seleção brasileira, o Palmeiras teve de buscar alternativas. Uma delas foi atacar pela direita, com Marcos Rocha, Dudu e Veiga, recuperado da contaminação por Covid-19. O time ficou com a bola, mas faltou efetividade. Também funcionou pouco a opção de Rony como atacante centralizado. Encaixotado por zagueiros altos, o camisa 7 quase não finalizou. Tecnicamente, não foi uma grande jornada. Aos 46, Rony finalizou por cima após bela enfiada de Marcos Rocha. 

O Santos foi paciente, como pediu o técnico Fabián Bustos no início do jogo, e apostou no lado direito como mina de ouro. O lateral Lucas Pires explorava os avanços de Marcos Rocha e a cobertura deficiente de Gabriel Menino. Com boa movimentação, a equipe conseguiu duas boas chances. Após bate-rebate na área, Sandry chuta por cima aos 10 minutos. Aos 21, Baptistão ganhou de Murilo e conseguiu finalizar para boa defesa de Lomba. 

O time também levou perigo pelo meio. O grande motivo de dor de cabeça da defesa palmeirense foi Marcos Leonardo. Com grande mobilidade, o atacante confundia os marcadores e abria espaço para quem vinha de trás. Ou ele mesmo finalizava. No final do primeiro tempo, ele marcou, mas o árbitro de vídeo flagrou – corretamente – falta do ataque santista no início do lance. Mesmo com três volantes, o time conseguiu bloquear os meias alviverdes e conseguiu criar. As oportunidades evidenciaram como a objetividade deixou o time santista mais perto do gol. 

O Santos continuou mais presente no ataque, mais vertical, mas as chances reais se tornaram mais raras. Em um lance esporádico, o Palmeiras teve a chance de abrir o placar. O lateral Marcos Rocha sofreu pênalti de Fernández. Aos 27 minutos, Raphael Veiga cobrou e perdeu ao acertar a trave. O meia havia convertido 26 pênaltis seguidos até perder neste domingo. O último perdido pelo meia foi em 26 de julho de 2018, quando defendia o Athletico-PR. 

O Palmeiras não se abateu emocionalmente. Mesmo sem uma atuação brilhante, a equipe abriu o placar em uma cobrança de escanteio. O capitão Gustavo Gómez cabeceou e marcou após desvio em Lucas Pires aos 34 do segundo tempo. 

O Santos também se recuperou emocionalmente e teve chances para empatar, mas esbarrou na boa atuação do goleiro reserva Marcelo Lomba. Com duas grandes defesas, uma delas após bela finalização de Goulart, o reserva segurou a pressão. O Palmeiras encontra soluções mesmo nos momentos mais difíceis. 

Ficha técnica

Santos 0 x 1 Palmeiras

Gols: Gómez, aos 34 minutos do 2º tempo

Santos: João Paulo; Madson, Maicon, Bauermann e Lucas Pires, Rodrigo Fernández e Sandry (Bruno); Zanocelo (Lucas Braga), Baptistão (Angulo), Jhojan Julio (Ricardo Goulart) e Marcos Leonardo (Rwan). 

Técnico.: Fabián Bustos

Palmeiras: Marcelo Lomba; Marcos Rocha, Gómez, Murilo (Naves) e Jorge; Zé Rafael, Gabriel Menino (Fabinho), Scarpa e Veiga (Acuesta); Dudu (Navarro) e Rony. Técnico: João Martins. 

Amarelos: Gabriel Menino, Fernández, João Paulo, Bruno

Público: 14.220 pagantes

Renda: 416.655,00 

Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)

Local: Vila Belmiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.