Palmeiras vende Caio para o Eintracht por cerca de R$ 10 mi

Meio-campista se despediu do Palmeiras e viaja nesta segunda-feira à noite para assinar por 4 anos e meio

Daniel Akstein Batista, O Estado de S. Paulo

14 de janeiro de 2008 | 17h11

O meio-campista Caio foi negociado pelo Palmeiras na tarde desta segunda-feira com o Eintracht Frankfurt, da Alemanha. Negociado por quatro milhões de euros (cerca de R$ 10,4 milhões), o jogador se despediu dos colegas de time em São Paulo, na Academia de Futebol, antes do treino da tarde e já viaja para a Alemanha nesta noite, para assinar contrato por 4 anos e meio.       Veja também:  Palmeiras fecha com Lenny e resolve caso Thiago Neves"Estou muito Feliz por estar indo para lá, mas fico triste pelo Palmeiras, que tenho certeza que fará um bom ano. É um contrato bom para mim e para a minha família", avalia Caio. Ele projeta um bom desempenho para seu futebol no ano. "No ano passado estava em crescimento e estou indo para um grande clube, que tem uma estrutura boa, gostei do que me mostraram. Espero num futuro próximo voltar ao Palmeiras".Sobre a conversa com o técnico Vanderlei Luxemburgo, disse que ele apenas "lamentou não trabalhar comigo esse ano, disse que, quem sabe, no futuro. O negócio agora é ganhar um bom dinheiro e vou aprender bastante lá na Alemanha". O acerto rápido com o time alemão é, na verdade, mais demorado do que parece. A proposta estava nas mãos do Palmeiras desde o final do ano passado.Nascido em Mirandópolis (SP), Caio Cesar Alves dos Santos tem 21 anos e no futebol brasileiro jogou no Barueri, no Internacional e no Palmeiras.   Volta para casa   Em treino que durou apenas uma hora devido a forte chuva que caiu na tarde desta segunda-feira, em São Paulo, os jogadores do Palmeiras fizeram um trabalho leve após a temporada de treinamentos em Atibaia. A equipe jogou no domingo contra o São Bento, em Barueri, e venceu por 2 a 1. Atualizado às 21h19 para correção de informação

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasCaio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.