Palmeiras vira com gols de Ortigoza e vai às semifinais

O paraguaio Ortigoza saiu do banco para dar ao Palmeiras a vitória de virada no jogo contra o Bragantino, nesta terça-feira à noite, no Palestra Itália, resultado que assegurou à equipe a classificação antecipada para as semifinais do Campeonato Paulista.

AE, Agencia Estado

24 de março de 2009 | 21h45

Com 40 pontos, o time segue folgado na liderança, e pode até assegurar o primeiro lugar no fim de semana - basta vencer o São Paulo, no Morumbi, e torcer para que o Corinthians não vença a Ponte Preta, nesta quarta-feira, ou o Guarani, no sábado. O Bragantino parou em 16 pontos, e corre o risco de terminar a 16ª rodada na zona de rebaixamento, dependendo dos resultados dos rivais.

O Palestra Itália recebeu um público abaixo da média, e o jogo também teve um nível técnico bem baixo. O técnico Vanderlei Luxemburgo decidiu poupar o volante Pierre e o zagueiro Danilo, pendurados com dois cartões amarelos, e escalou o time novamente no 3-5-2, com Jéci e Marcão acompanhando Maurício Ramos na defesa. E o criticado Jéci acabou abrindo o placar, mas para o Bragantino: aos 11 minutos, ele tentou cortar um cruzamento vindo da direita e mandou para dentro.

Precisando da virada e para evitar mais problemas, o técnico Vanderlei Luxemburgo decidiu sacar Jéci e colocar Ortigoza, deixando o time praticamente num 4-3-3, com Marquinhos e Keirrison acompanhando o voluntarioso paraguaio. Mas o excesso de atacantes não ajudou muito: sem qualidade na armação, o Palmeiras não criava jogadas e Keirrison, de volta ao time, quase não apareceu em campo.

O Palmeiras só conseguiu empatar no apagar das luzes do primeiro tempo: Diego Souza fez boa jogada individual, invadiu a área e só tocou para o paraguaio, que bateu para o gol aberto. No começo do segundo tempo, Ortigoza voltou a mostrar oportunismo: após bola alçada na área, o goleiro Gilvan rebateu mal e o atacante não perdoou, virando a partida.

A torcida se animou e passou a esperar uma goleada, mas, pouco inspirado, o Palmeiras não conseguiu criar boas chances e ainda deu muito espaço ao Bragantino, que levava perigo nos contra-ataques. Num desses lances, Diego Souza agarrou a camisa de César Gaúcho e, como já tinha cartão amarelo, foi expulso - virou desfalque para o clássico de sábado, no Morumbi. Mesmo com um a mais, no entanto, o Bragantino não teve competência para buscar o empate e o Palmeiras conseguiu a vitória, tornando-se o primeiro time garantido nas semifinais do Paulistão.

Ficha técnica:

Palmeiras 2 x 1 Bragantino

Palmeiras - Marcos; Jéci (Ortigoza), Maurício Ramos e Marcão; Sandro Silva, Jumar, Cleiton Xavier (Evandro), Diego Souza e Jéfferson; Marquinhos (Souza) e Keirrison. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Bragantino - Gilvan; Gabriel (Johnny), Gustavo (Paulinho Kobayashi) e Marcelo Godri; Tiago Almeida, Moradei, César Gaúcho, Bill e Pará (Jorginho Paulista); Malaquias e Nunes. Técnico: Marcelo Veiga.

Gols - Jéci (contra), aos 11, e Ortigoza, aos 45 minutos do primeiro tempo; Ortigoza, aos 8 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Robério Pereira Pires.

Cartões amarelos - Maurício Ramos, Ortigoza, Souza e Marcos (Palmeiras); Gustavo, Moradei, César Gaúcho, Pará, Bill e Jorginho Paulista (Bragantino).

Cartão vermelho - Diego Souza (Palmeiras).

Renda - R$ 130.167,50.

Público - 8.402 pagantes.

Local - Estádio Palestra Itália, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.