Yukie Nishizawa/AFP
Yukie Nishizawa/AFP

Palmeirense, Jair Bolsonaro dá casaco do Flamengo para líder da China

Presidente do Brasil ainda comenta que o clube rubro-negro é atualmente o melhor do País

Julia Lindner, enviada especial a Pequim, O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2019 | 08h37

Jair Bolsonaro deu um casaco do Flamengo para o presidente da China, Xi Jinping, após reunião bilateral no Palácio do Povo, em Pequim. Ao entregar o presente, o prtesidente do Brasil disse que o clube rubro-negro é o "melhor time brasileiro do momento".

A equipe carioca lidera o Campeonato Brasileiro e é o único time do País a seguir na Libertadores. Está na final diante do River Plate. Bolsonaro brincou que, devido ao bom desempenho da equipe do Rio, atualmente todos os brasileiros são flamenguistas. Ele afirmou ter certeza de que os 1,3 bilhão de chineses também torcerão pelo time na final da Libertadores, no fim do mês que vem.

Mais cedo, o presidente comentou a jornalistas que o seu presente iria surpreender. Ele torce pelo Palmeiras. Além da blusa, Bolsonaro entregou ao representante chinês uma gravura de futebol. Xi Jinping é fã do esporte e investiu bilhões de dólares nos últimos anos na modalidade em seu país. A China exportou jogadores e treinadores e tem naturalizado atletas para defender a seleção nacional. A Fifa aprovou nesta semana o país como palco do Mundial de Clubes de 2021.

No encontro, Bolsonaro afirmou ainda que o Brasil é "um mar de oportunidades". "Queremos compartilhar isso com a China", disse. Ele convidou os chineses a participarem do "maior leilão de óleo e gás que se tem notícia". "A China não poderia se fazer ausente nesse momento", reforçou Bolsonaro. O presidente enalteceu as relações comerciais entre os países e destacou a decisão de isentar os chineses de visto para a entrada no Brasil como um gesto de aproximação.

"Eu estava ansioso por essa visita porque temos na China o primeiro parceiro comercial e nos interessa ampliar novos horizontes. O Brasil precisa da China e a China também (precisa do Brasil)", disse Bolsonaro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.