Palmeirenses admitem fim das chances no Paulistão

Marcos já havia dado o alerta. Na última segunda-feira, deixou o treino do Palmeiras reclamando da apatia dos seus companheiros na marcação. Os gols que levou nesta quarta, no empate por 2 a 2 com o Rio Branco, saíram justamente em erros da defesa. E o goleiro, abatido, preferiu não dar entrevistas.

AE, Agencia Estado

24 de março de 2010 | 23h23

Enquanto Marcos saía de campo calado, os outros jogavam palmeirenses tentavam explicar o tropeço em Araraquara, que praticamente acabou com as chances de classificação para as semifinais do Paulistão. "Infelizmente jogamos mal uma outra vez, não tem o que falar", disse o meia Lincoln.

O zagueiro Danilo também foi sincero sobre se ainda o time possuía chances de chegar à semifinal. "Já era faz tempo", admitiu o jogador, que é um dos líderes do elenco palmeirense.

Em sete jogos que o técnico Antônio Carlos disputou pelo Palmeiras no Paulistão, conseguiu três vitórias, três derrotas e um empate. Aproveitamento de menos de 50%. "Demos nosso melhor, nos esforçamos, mas a fase não está boa", reconheceu o volante Pierre. "A gente precisa levantar a cabeça o mais rápido possível. Temos a Copa do Brasil", lembro o meia Diego Souza.

Para a partida de sábado, contra o Mirassol, o Palmeiras não vai contar com o suspenso Diego Souza e os machucados Lenny (torceu o joelho direito e deixou o campo chorando) e Ewerthon (saiu com dores na virilha esquerda).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato PaulistaPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.