Palmeirenses admitem problemas

O goleiro Sérgio, um dos líderes do Palmeiras, reconheceu: "O Palmeiras, num todo, não está bem." Para ele, isso explica porque o time não consegue uma seqüência de vitórias. "E a torcida tem todo o direito de vaiar. Erramos e temos de corrigir as falhas", disse o goleiro, que preferiu não detalhar os problemas enfrentados pela equipe.A torcida teve razão de protestar contra o técnico Estevam Soares e o time, que depois de um bom primeiro tempo, novamente permitiu que o adversário crescesse. "É difícil explicar. Mais uma vez não jogamos bem no segundo tempo", comentou Pedrinho. "Temos de lutar para reverter essa situação." Segundo os jogadores, o problema foi discutido no intervalo. "Comentamos que não poderíamos diminuir o ritmo", disse o volante Correia. "Infelizmente tomamos o gol e deu no que deu. É hora de ter calma e não ficar com a cabeça quente."O volante Claudecir, substituído no segundo tempo por Diego Souza, tentou explicar a queda do Palmeiras no segundo tempo, assim como ocorreu na derrota para o São Paulo, no sábado. "Recuamos um pouco, em razão do placar. No primeiro tempo estávamos bem postados, mas caímos no segundo. Isso não pode acontecer", disse o volante.Para enfrentar o Juventude, dia 17, em Caxias do Sul, o técnico Estevam Soares não terá o lateral-direito Baiano e o meia Claudecir, que receberam o terceiro cartão amarelo. Em compensação, o volante Magrão, que está na seleção brasileira, poderá voltar ao time. O meia Elson, com inflamação no joelho direito, e o atacante Thiago Gentil, que se recupera de uma lesão muscular, também devem estar à disposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.