Palmeirenses começam campanha para motivar Marcos

Os jogadores do Palmeiras já começaram um movimento para dar força a Marcos, que no último domingo sofreu mais uma contusão - fratura no antebraço esquerdo (a 13.ª em 15 anos de clube) - e ficará dois meses afastado dos gramados. A principal preocupação do grupo alviverde é fazer com que o goleiro, que tem contrato até 2009, pense em encerrar a carreira. ?Todos sentimos por ele, mas vamos dar todo apoio ao Marcão. Vai ter a força da família e do torcedor", diz o técnico Caio Júnior.O treinador convocou a torcida a apoiar o goleiro. E parece ter dado resultado. No site oficial do clube, várias mensagens de incentivo a Marcos. E um grupo de crianças da LBV fará alguns cartazes também para dar mais ânimo ao goleiro do Palmeiras.Marcos ficará engessado por seis semanas. Nesse período, realizará algumas atividades. ?Ele poderá pedalar, se condicionar?, indica o médico Rubens Sampaio, que confirmou que, a princípio, o jogador não precisará de cirurgia. Após esse período, ele inicia o trabalho de fisioterapia para, depois, retomar os trabalhos com os demais jogadores. ?Ele está muito triste. Vamos dar tempo ao tempo que ele vai se recuperar?, afirma Sampaio. "Ele está muito pessimista. Acha que qualquer coisa que aconteça será para sempre", confirma Edmundo. "Torço para que ele fique bom o quanto antes para estar com a gente. É uma pessoa fantástica."Desde que ajudou o Brasil a conquistar o pentacampeonato Mundial, na Coréia do Sul e no Japão, em 2002, Marcos convive com o fantasma das contusões, que constantemente o deixam longe dos gramados. A sofrida contra o Juventus, domingo, o afastará por, no mínimo, dois meses.Dos 305 jogos que o Palmeiras vez desde aquela Copa do Mundo, o goleiro ficou fora de 152. Por muitas vezes, pensou em desistir do futebol. Mas contou com o apoio de familiares, amigos e colegas de Palmeiras. O mesmo apoio que ele receberá agora.As seguidas contusões impediram o atleta de ir para a Copa do Mundo da Alemanha, ano passado. Uma lesão muscular na coxa direita o deixou fora por cinco meses, acabando com o sonho de jogar o segundo Mundial. Em seguida, em julho do ano passado, contra o Corinthians, sofreu luxação no ombro direito e ficou de fora por cerca de três meses. Voltou, estava mal, e perdeu a posição para Diego Cavalieri.Neste ano, quando tudo parecia caminhar bem, uma cabeçada, sem intenção, do zagueiro Reginaldo, do Juventus, dá mais um capítulo ao calvário vivido pelo jogador. ?Vamos dar muita alegria a ele?, garante Caio Júnior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.