Palmeirenses culpam gramado encharcado por derrota

Os jogadores do Palmeiras atribuíram a derrota para o Rio Claro, neste domingo, às péssimas condições do gramado do Estádio Augusto Schimidt Filho. O time perdeu por 2 a 1, e continua distante da zona de classificação para as semifinais do Campeonato Paulista.

AE, Agencia Estado

28 de fevereiro de 2010 | 22h37

"O gramado estava impraticável", reclamou o meia Diego Souza. "Demos azar de termos saído atrás. Isso nos atrapalhou muito", lamentou o camisa 7. O gol da vitória do Rio Claro foi marcado por Osni, aos 34 minutos do primeiro tempo.

O técnico Antônio Carlos também lamentou as condições do campo. "Gramado pesado é assim mesmo. A saída é levantar as bolas para a área", avisava, no intervalo. "As poças dificultaram demais o nosso trabalho", completou o treinador, que conheceu sua primeira derrota no comando do Palmeiras.

Para o atacante Robert, o gol no início da partida e o gramado encharcado exigiram que o time mudasse de estratégia. "Nós tivemos que mudar a nossa maneira de jogar, aí ficou muito difícil. Estamos acostumados a jogar de uma forma, tocando a bola. Precisamos mudar e passar a cruzar para a área", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato PaulistaPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.