Palmeirenses culpam iluminação e gramado por tropeço

O futebol dos últimos jogos não tem sido o esperado, ainda mais se comparado ao início fulminante na temporada, mas o discurso dos jogadores palmeirenses continua afinado. Depois do empate por 1 a 1 com o Oeste, em Itápolis, pela penúltima rodada do Paulistão, nesta terça-feira, a culpa pelo tropeço caiu sobre a iluminação e as condições do gramado no Estádio Ildenor Picardi.

AE, Agencia Estado

31 de março de 2009 | 23h10

"Este gramado é ruim, e a iluminação não ajuda em nada. Eles (Oeste) estão acostumados com isto e foi muito mais fácil para eles jogarem", disse Diego Souza.

O goleiro Marcos seguiu o mesmo discurso. "O Oeste está adaptado a este tipo de gramado e iluminação. Foi muito difícil ver a bola e qualquer um (do Palmeiras) teve muita dificuldade para jogar aqui." Sobre o bom jogo do goleiro Weverton, do Oeste, Marcos foi categórico. "Ele (Weverton) está mais acostumado a jogar com esta iluminação. Basta ver como ele jogou."

Já o zagueiro Danilo tentou minimizar o gol sofrido, mesmo com o esquema de três defensores montado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo. "É muito ruim jogar aqui (em Itápolis), e a zaga jogou bem, não sofremos gol de cabeça (principal deficiência do time) e tivemos chances para vencer."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.