Palmeirenses dão mérito ao Paysandu

Tanto os jogadores como a comissão técnica do Palmeiras foram unânimes em reconhecer a superioridade do Paysandu na partida deste domingo. O treinador Vanderlei Luxemburgo, após parabenizar o time paraense pela classificação para a decisão da Copa dos Campeões - vitória por 3 a 1 -, ressaltou que o seu time chegou bem mais longe do que se imaginava antes de começar a competição. "Ninguém acreditava na gente. Saímos de São Paulo desacreditados, ninguém nem sabia o que estava acontecendo com nossa equipe".Luxemburgo enfatizou que a equipe teve chances de liquidar a partida tanto no primeiro quanto no segundo tempo. Mas adiantou que o planejamento do Palmeiras para o segundo semestre não será alterado devido ao resultado negativo. "A vida continua. Minha função não será mudada. Vou montar a equipe para o Campeonato Brasileiro", explicou.O técnico reiterou que o Paysandu teve méritos para chegar à decisão. Desta vez, não reclamou nem do fato de a equipe paraense ter jogado a semifinal diante de sua torcida. "Eles ganharam por merecimento. Essa história de fator campo é conversa fiada. O Givanildo tem um elenco que atua junto há dois anos, bastante entrosado, e isso fez a diferença", reconheceu.Segundo Luxemburgo, a saída de Leonardo ainda no primeiro tempo, que forçou a colocação de Arce na lateral, alterou o rumo da partida. "Naquele momento, vivíamos nosso melhor momento no jogo. O time demorou para se entrosar após a alteração", avaliou. O treinador também não quis colocar a culpa em nenhum jogador pelo resultado. "Falar que os gols saíram nas costas do Diego não seria justo. Nem que o Lopes esteve abaixo do que pode render. Repito que tivemos chance de vencer, mas erramos na conclusão."Arce também creditou a derrota às falhas de conclusão. "Tivemos pelo menos duas possibilidades para marcar. E acabamos levando um gol de bola parada", afirmou. O paraguaio não quis falar sobre seu futuro no Palmeiras, com quem tem contrato até o dia 10. ?Esse não é o momento para discutirmos isso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.