Palmeirenses esgotam ingressos em 5 horas

A torcida do Palmeiras deu nesta quarta-feira mais uma demonstração de amor ao clube. Em menos de cinco horas, esgotou os 27.190 ingressos colocados à venda para a partida de sábado contra o Botafogo, 16 horas, no Palestra Itália - que servirá para o time celebrar com volta olímpica a conquista da Série B do Brasileiro e a volta à primeira divisão. Restam apenas os 2.223 bilhetes que serão destinados para os botafoguenses.A movimentação nos arredores do Palestra Itália, o principal ponto de venda, começou na noite de terça-feira. Centenas de torcedores dormiram à porta do estádio para garantir um bom lugar na fila na hora da abertura das bilheterias, às 13h. Antes das 18h, todas já estavam fechadas."Pelo que eu me lembre, movimentação tão grande de torcedores em busca de ingressos aconteceu somente em 1999, na decisão da Libertadores contra o Deportivo Cali, e no ano seguinte na final também da Libertadores, diante do Boca Juniors, no Morumbi, quando em apenas um dia mais de 70 mil bilhetes foram vendidos. Mas foram decisões de título, não um jogo como o de sábado, que servirá apenas para cumprimento de tabela", disse Durval Colossi, diretor financeiro do Palmeiras.Ciente do interesse da torcida do Palmeiras pelo jogo, em nenhum momento a diretoria cogitou a possibilidade de uma transferência para o Morumbi. Tanto que, nas últimas 48 horas, o trabalho foi grande para que o Palestra Itália pudesse se adequar inteiramente às normas previstas pelo Estatuto do Torcedor. A colocação de câmeras de monitoramento e a numeração de todos os setores do estádio retratam o interesse em manter a partida contra o Botafogo para o mesmo local onde a equipe mandou todos os jogos da Série B. A torcida teve de enfrentar filas que dobravam o quarteirão em busca de ingressos. "Pelo volume de gente que esteve aqui, imaginei que a confusão seria grande. Mas chamamos o Batalhão de Choque para organizar a venda e nenhum problema aconteceu", revelou Durval Colossi.Entre os felizardos com a compra do ingresso, três simpáticas "vovozinhas" e um exigente "tiozinho" - como foram carinhosamente chamados pelos palmeirenses. No melhor jeitinho brasileiro, Izabel Cabral Giroza, 76 anos, Lurdes Gonçalves Donida, 58, Marlene Ramos Rosa, 65, e Armando de Pieri, 74, conseguiram ser os primeiros da fila."Este Cidão (Sidnei Félix de Souza Jr., 19) é um anjo. Com a maior simpatia nos cedeu o lugar", afirmou Izabel, freqüentadora assídua do clube, sobre o torcedor que chegou às 23h de terça-feira. Ela é sócia há 38 anos e vai a todos os jogos do time. Neste quarta-feira, chegou às 8 horas no Palestra Itália. Queria seis ingressos para poder trazer os filhos e netos, mas só pôde comprar três: "Eles não podiam passar por este sacrifício."A procura por ingressos surpreendeu até os jogadores do elenco palmeirense. "Sinceramente eu não esperava uma loucura dessas", afirmou o meia Diego Souza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.