Palmeirenses fazem protesto contra jogadores e diretoria

Ainda revoltada com o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, parte da torcida do Palmeiras organizou um protesto contra jogadores e dirigentes em frente à Academia de Futebol, neste sábado. Entre os principais alvos estavam o presidente do clube, Arnaldo Tirone, e o vice de futebol, Roberto Frizzo.

AE, Agência Estado

24 de novembro de 2012 | 13h37

A polícia esteve presente no local, mas o protesto não foi violento e não houve ataques a jogadores ou diretores. O momento de maior exaltação aconteceu quando um ônibus levando os atletas deixou o local. A torcida xingou e protestou bastante, mas não aconteceram confrontos.

Os torcedores se caracterizaram de seus principais alvos. Valdivia foi retratado por um homem com a camisa do Chile, apoiado em muletas e segurando uma garrafa de cachaça. O goleiro Bruno também foi ironizado por um torcedor, que colocou duas folhas de alface nas mãos.

Mas o mais xingado foi mesmo Tirone. Os torcedores inclusive levaram um sósia do dirigente, que ficou sentado em uma cadeira de praia, sem camisa, sob um guarda-sol, como uma espécie de reconstituição da cena que revoltou os palmeirenses na última segunda-feira, quando o mandatário foi visto em uma praia do Rio de Janeiro, um dia após o rebaixamento da equipe ser decretado.

Mesmo já rebaixado, o Palmeiras tem pela frente mais duas partidas no Campeonato Brasileiro. A primeira delas acontecerá neste domingo, diante do Atlético-GO, no Pacaembu, quando a torcida deve fazer novos protestos contra jogadores e diretoria.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.