Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Palmeirenses poupam corintianos em má fase

Os jogadores do Palmeiras deixaram o Morumbi aliviados com a goleada por 4 a 0 no clássico, mas com pena do Corinthians. A grande maioria se sentiu constrangida na hora de falar sobre o momento delicado do arqui-rival.O goleiro Marcos, que sentiu na própria carne o drama de ver sua equipe cair para a Segunda Divisão, em 2002, procurou poupar os adversários. "A gente entende o momento ruim do Corinthians. Apesar de ser um rival, tenho amigos que jogam lá", disse o goleiro. "Eles vão precisar de muita força. Três ou quatro resultados positivos embalam o time. Duro é conseguir essa seqüência com tantas cobranças."Em nenhum momento, porém, Marcos escondeu a alegria pela vitória. "Não vou ser hipócrita, dizendo que foi um resultado incomum. Não é todo dia que você consegue vencer o Corinthians por 4 a 0. Mas uma coisa tem que ficar bem clara para nós: não adianta nada vencer o Corinthians por quatro e depois perder os outros 42 jogos do Campeonato".O resultado também tirou um grande peso da equipe, que ainda não tinha vencido desde a sua volta à série A do Campeonato Brasileiro. A pressão era enorme e poderia comprometer o futuro se a resposta não fosse positiva no clássico deste domingo.O técnico Jair Picerni também seguiu o discurso de seus jogadores. Só não foi tão enfático na hora de falar sobre a fragilidade adversária. "Não acho que vencemos porque o Corinthians vive um momento ruim. Num clássico não existe isso. Além disso, até a vitória de hoje, o Palmeiras também vinha atravessando um momento delicado."O próximo jogo do Palmeiras é na quarta-feira, contra o Goiás, pela Copa do Brasil. No primeiro jogo, deu empate: 1 a 1. No jogo de volta, um empate por 0 a 0 classifica o Palmeiras. Se for 1 a 1, a decisão será nos pênaltis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.