Palmeirenses reclamam do árbitro

O árbitro Márcio Rezende de Freitas foi eleito o principal vilão na derrota palmeirense para o Coritiba por 1 a 0. Os atletas criticaram algumas inversões de falta, a violência do time da casa, um gol anulado injustamente e, principalmente, dos pênaltis não marcados. Um dos atletas mais revoltados com a atuação de Freitas foi o atacante Washington, que precisou jogar com uma proteção na cabeça depois de levar quatro pontos por causa, segundo ele, de um chute levado em uma disputa de bola. Na sua opinião, o zagueiro do Coritiba puxou a sua camisa dentro da área e o juiz ignorou o lance, que poderia definir o empate. "Ele não impediu a violência, pois eles bateram muito. Tive um pênalti escandaloso que ele não deu e um gol também que o juiz marcou impedimento", afirmou. O goleiro Marcos não foi tão enfático, e preferiu a cautela. "Será melhor nós vermos os lances pela televisão antes de alguma análise". O gerente de futebol do clube, Ilton José da Costa, descarta qualquer tipo de veto ou ação de protesto contra Freitas, mas advertiu sobre a necessidade do time ficar mais vigilante. "A gente espera que nas próximas partidas a atenção seja redobrada.Com a experiência do Márcio Rezende, principalmente no lance do gol, com a mudança da lei do impedimento, ele poderia ter assumido a validade do gol por conta própria. Além disso, tivemos dois pênaltis caracterizados. Vocês também viram e fica difícil para a gente entender como ele não conseguiu ver. Acreditamos que o Márcio não esteve em uma tarde muito feliz". O técnico Paulo Bonamigo não criticou o árbitro diretamente, mas falou que alguns erros da arbitragem influenciaram no resultado. "Temos que ter muito cuidado antes de falar as coisas, mas o Palmeiras foi prejudicado, pois um erro capital agora pode nos prejudicar na parte final do campeonato". O técnico também isentou Marcinho da falha que resultou no gol do Coritiba. "Faço uma análise coletiva, os erros acontecem, mas o Marcinho conversou com o grupo e todos nós perdemos", disse. Nesta segunda, o meia Marcinho (ex-São Caetano) se apresenta no clube para assinar contrato e fazer exames médicos. Na quinta, a equipe volta a campo para enfrentar o Cerro Porteno, do Paraguai, pela Copa Libertadores da América.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.