Cesar Greco/Ag Palmeiras
Cesar Greco/Ag Palmeiras

Lambança do árbitro fica em 2º plano em vexame palmeirense

Time mantém sina de sofrer uma goleada por ano

Estadão Conteúdo

04 de outubro de 2015 | 21h12

A confusa arbitragem de Jailson Macedo Freitas não foi suficiente para apagar a trágica noite do Palmeiras na Arena Condá, em Chapecó. O time teve a pior derrota do ano diante da Chapecoense, na goleada por 5 a 1. A primeira sofrida pelo renovado grupo alviverde. "O jogo foi realmente para a gente esquecer. Fizemos uma partida muito ruim", disse o lateral Lucas, que no segundo tempo foi deslocado para o meio.

A partida trouxe más recordações para a torcida do Palmeiras. No ano passado, o time foi goleado no Brasileirão por outro alviverde, o Goiás, por 6 a 0. Em 2013, por sua vez, o carrasco foi o Mirassol: 6 a 2 no Paulistão. Em 2011 a eliminação na Copa do Brasil foi contra o Coritiba e no primeiro jogo o time levou de 6 a 0. "Temos de melhorar porque não podemos perder para um rival desta maneira", afirmou o atacante Barrios.

Com a goleada, a polêmica da anulação do cartão vermelho na partida acabou ficando em segundo plano. Egídio foi expulso, chegou a ir para o vestiário, mas depois Jailson Macedo Freitas voltou atrás e mandou chamar o atleta. "Ele falou que errou e voltou atrás", afirmou Egídio.

Na Chapecoense, a bronca é por causa da suspeita de que tenham visto as imagens pela televisão e avisado ao árbitro para recuar da decisão. "Alguma coisa aconteceu ou alguém falou para ele, que voltou atras", disse o técnico Guto Ferreira.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasChapecoense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.