Palmeirenses tentam esquecer tragédia

Todos gostam de férias, mas nem sempre elas representam momentos de alegria. Ainda frustrados com a eliminação na Taça Libertadores da América, os jogadores do Palmeiras fazem de tudo para esquecer o desastre contra o Boca Juniors, desde participar de debate sobre vaidade, em programa de televisão, como o lateral-esquerdo Felipe, até entregar galões de água, como o volante Claudecir. Tudo por causa de uma derrota nos pênaltis, na semana passada. Eles gostariam de estar no México, onde haverá o primeiro jogo da final da Libertadores, amanhã, entre Cruz Azul e Boca. "Era o que queríamos", lamenta Claudecir. Felipe esteve na TV Record, na segunda, quando participou do programa É Show, apresentado por Adriane Galisteu. O palmeirense foi um dos convidados para debater o tema vaidade. Admitiu ser fanático por perfume, que usa até para entrar em campo, e falou sobre as marcas de shampoo de que mais gosta. Entre outros participantes estavam o goleiro Emerson, do Bahia, e a jogadora de vôlei Ana Paula. Claudecir preferiu se refugiar em sua cidade natal, Barra Bonita, interior de São Paulo. Quem pensa que ele está tendo vida tranqüila, engana-se. O volante passa o dia entregando galões de água usando sua caminhonete. Ele é proprietário de uma loja de distribuição de água. Em Barra Bonita, curte os pais. Mas na semana que vem terá de agradar à mulher, Scheila de Carvalho. Irá para Bauru, onde moram os sogros. "É preciso ficar um pouco em cada lugar para para satisfazer os dois lados", comenta o atleta. A diretoria continua atrás de um lateral-esquerdo para o lugar de Felipe, que deixará o clube. Marquinhos, do Goiás, e Roger, do Grêmio, são os cotados. Robert, meia do Botafogo-SP, está perto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.