Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Palmeirenses tentam evitar queda para renovar contrato

Dos 40 jogadores que compõem o elenco alviverde, 11 têm o vínculo estipulado para encerrar entre dezembro e fevereiro do próximo ano

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

04 de dezembro de 2014 | 12h21

Na última semana de trabalho na temporada do Palmeiras, boa parte do elenco vê na luta contra o rebaixamento a chance de garantir a renovação de contrato para o ano que vem. Dos 40 jogadores do elenco, 11 têm o vínculo estipulado para encerrar entre dezembro e fevereiro do próximo ano, situação que segundo o lateral-esquerdo Victor Luís, faz os colegas se empenharem mais para tentarem provar a relevância que têm para o clube.

"Esse jogo com o Atlético-PR pode ajudar todos nós dentro do Palmeiras. Se permanecermos na Série A, todos os jogadores vão se dar bem em virtude desse resultado. Estamos tentando chegar a esse objetivo", afirmou nesta quinta-feira. Diante do adversário no domingo, no novo estádio, a equipe do técnico Dorival Júnior precisa ganhar para evitar a queda sem depender de outros resultados, como tropeços dos rivais diretos Bahia e Vitória.

Os jogadores que têm contrato próximo do fim são o zagueiro Victorino, o lateral Juninho, os volantes Eguren, Washington, Marcelo Oliveira e Wesley, os meias Bruno César e Bernardo, além dos atacantes Diogo, Leandro e Henrique. Nenhum deles tem a situação definida pela diretoria e apostam no bom resultado no próximo fim de semana como trunfo para tentar ampliar o vínculo com o clube.

Titular absoluto de Dorival, Victor Luís foi revelado nas categorias de base e é o único jogador do elenco que atuou nas 19 partidas do técnico no comando da equipe, ora como lateral-esquerdo, ora como volante. Para ele, o segredo do jogo no próximo domingo é tentar minimizar a preocupação com possíveis gols desfavoráveis nas outras partidas. "Temos que pensar só na gente, até porque só depende de nós. Com certeza vamos ficar sabendo do que acontecer em outros jogos, mas não podemos deixar de fazer a nossa parte", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.