Esteban Biba/EFE
Esteban Biba/EFE

Panamenhos apostam em contra-ataque e bola aérea para surprreender a Bélgica

Seleção do Panamá enfrentará a Bélgica, cabeça de chave do Grupo G da Copa do Mundo, na próxima segunda-feira

Estadão Conteúdo

15 Junho 2018 | 14h54

Uma das maiores surpresas nesta Copa do Mundo e participando apenas pela primeira vez do torneio, o Panamá não terá vida fácil em sua estreia na Rússia. A equipe encara a Bélgica, uma das candidatas ao título. E para tentar surpreender o rival, os panamenhos já traçaram um plano para a partida da próxima segunda-feira, em Sochi.

+ Confira os gols do dia na Copa do Mundo

AFA acusa presidente da CBF de 'traição' por voto no Marrocos na Fifa

+ Infantino defende substituição de presidente da CBF após mal-estar em eleição

"Acho que a bola parada, hoje em dia, é importante no futebol porque se ganha e se perde partidas desta forma. Então, temos que estar muito concentrados para tentar conseguir o resultado assim", declarou o lateral Eric Davis, em entrevista coletiva nesta sexta.

Se a jogada aérea é uma aposta dos panamenhos, o atacante Abdiel Arroyo mostrou que a seleção também tem outra carta na manga para o confronto. "Vamos tentar fazer o nosso, a Bélgica deve tentar fechar os espaços. Precisamos ser eficientes no contra-ataque, será importante para nós", avaliou.

 

O próprio Arroyo reconheceu a superioridade e o favoritismo belga, mas mostrou que o Panamá também tem ambição. "Estamos trabalhando forte. Sabemos que a Bélgica é uma das potências, mas vamos com a mesma convicção de todas as equipes. Vamos tratar de chegar o mais longe possível."

Os panamenhos estão no Grupo G. Depois de encarar a Bélgica, a seleção centro-americana terá pela frente a Inglaterra, dia 24, em Nijni Novgorod, e a Tunísia, quatro dias mais tarde, em Saransk.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.