Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Paolo Guerrero deixa de depor sobre invasão ao CT do Corinthians

Esperado em delegacia, atacante já desmentiu publicamente que teria sido agredido por torcedores

Vítor Marques, Agência Estado

24 de fevereiro de 2014 | 16h56

SÃO PAULO - O atacante do Corinthians Paolo Guerrero não prestou depoimento na Polícia Civil na tarde desta segunda-feira. Ele era esperado na sede do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) para dar esclarecimentos sobre a invasão dos torcedores ao CT.

A princípio, Guerrero compareceria ao DHPP às 14h e seria ouvido pela delegada Margareth Barreto. A delegada, no entanto, ouviu apenas funcionários do clube nesta segunda-feira. O departamento jurídico do Corinthians irá entrar em contato com a delegada para que ela diga se é necessário que Guerrero preste depoimento.

Guerrero teria sido agredido por torcedores no dia da invasão, ou teria sido "esganado" como afirmou o presidente Mário Gobbi. Mas o atacante negou esta versão. Após o jogo contra o Rio Claro, ele garantiu que nenhum torcedor "tocou nele" naquela dia.

Romarinho também confirmou nesta segunda-feira que o companheiro de time não foi agredido. "O Guerrero estava ali fora, os caras foram para cima, mas não foi agredido", disse o atacante.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansGuerrero

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.