EFE|DANIEL DAL ZENNARO
EFE|DANIEL DAL ZENNARO

Paolo Maldini lê carta e homenageia o pai Cesare em velório

'Nós só temos que agradecê-lo pela maravilhosa e única jornada que fizemos juntos', disse o também ídolo do Milan em cerimônia

Estadão Conteúdo

05 de abril de 2016 | 16h32

O futebol italiano ainda está de luto pela morte de Cesare Maldini. Um dos grandes nomes da história da modalidade no país, o ex-jogador e técnico faleceu no último domingo, aos 84 anos. Nesta terça-feira, aconteceu o seu velório em Milão e entre as presenças ilustres, a mais marcante foi de seu filho e sucessor no Milan e na seleção italiana, Paolo Maldini, que leu uma emocionada mensagem ao pai.

"Nós só temos que agradecê-lo pela maravilhosa e única jornada que fizemos juntos, e que nos fará sorrir novamente toda vez que pensamos em você. Ficamos próximos em todos os momentos após sabermos que você estava partindo. Quando você nos deixou, aconteceu algo extraordinário, fomos inundados por mensagens de afeto a você, não mensagens triviais, mas tocantes. A cada uma destas pessoas, você se doou um pouco. Obrigado, pai", leu o emocionado Paolo Maldini.

As trajetórias de Cesare e Paolo se confundem não só pelo sucesso em campo, mas pelo amor ao Milan e entrega pela seleção italiana. Como capitão do clube, no qual estreou em 1954, Cesare Maldini atuou em 412 partidas e conquistou quatro títulos italianos. Pela seleção, também foi capitão e disputou 14 jogos, incluindo duelos da Copa do Mundo de 1962. Ele se aposentou dos gramados em 1966 e voltou ao Milan como treinador seis anos depois. Também comandou a Itália de 1996 a 1998.

Já Paolo atuou por 25 temporadas pelo Milan e se firmou como um dos grandes defensores da história do clube. Vestiu a camisa rubro-negra por 902 vezes, recorde da história da equipe, e conquistou 26 títulos até sua aposentadoria em 2009. Pela seleção italiana, foram 14 anos, com 126 partidas.

Mas Paolo Maldini não foi a única presença ilustre no velório do pai. Ex-jogadores do Milan, Shevchenko, Seedorf, Ambrosini e Massaro estiveram na Basílica Sant'Ambrogio. O presidente do clube, Silvio Berlusconi também passou por lá. Até um dos grandes ídolos da rival Inter de Milão, o argentino Javier Zanetti, marcou presença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.