Papa Francisco abençoa Oscar Schmidt e turma do esporte brasileiro

Ex-jogador de basquete, que luta contra um câncer no cérebro, se emocionou com o encontro

O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2013 | 16h47

RIO - O Papa Francisco cumprimetou rapidamente o ex-jogador de basquete Oscar Schmidt, nesta quinta-feira, no Palácio Guanabara, no Rio, sede do governo local. Oscar recebeu a bênção do Santo Padre ajoelhado e em lágrimas. Segurou na mão do Pontífice por mais tempo que ele esperava. O ex-jogador de basquete se emocionou principalmente porque luta contra o câncer no cérebro. O Papa Francisco recebeu os cumprimentos de outros atletas brasileiros e também do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman. Foi um encontro rápido que teve a Olimpíada do Rio, em 2016, e os Jogos Paralímpicos como pano de fundo.

O papa chegou a brincar com o grandalhão Oscar quando ele se levantou após receber a bênção. Fez gestos de que com sua altura ele colocava a bola nas cestas de cima para baixo. Em declaração à Globo, Oscar revelou sua fé e disse que a maior bênção que alguém pode receber é do Papa. "Falei que estava rezando por ele e ele me disse gracias. Ele pode abençoar, mas quem cura é a sua fé. Se não curar agora não vai curar nunca mais. A maior bênção que você pode ter é a bênção do Papa."

 

O ex-jogador de basquete da seleção chegou a brincar com a nacionalidade do Papa Francisco, e sua humildade. "Eu nunca pensei que fosse gostar de um argentino. Ele é humilde demais!". Das personalidades esportivas presentes no Palácio Guanabara, estavam Zico, Parreira, Elano, Deco, Fabiana e Fabi, do vôlei, Lars Grael, entre outros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.