Papa pretende utilizar o futebol para ensinar 'valores éticos'

Pontífice expressa o desejo ao receber atletas que se comprometeram a seguir um código feito pelo Vaticano

Efe,

10 de outubro de 2007 | 10h11

O papa Bento XVI desejou nesta quarta-feira que o futebol seja um "instrumento de ensino dos valores éticos e espirituais da vida", durante a audiência pública realizada na Praça São Pedro. Bento XVI expressou este desejo ao saudar os dirigentes e jogadores do time de futebol Ancona, da terceira divisão do Campeonato Italiano, que participaram da audiência. O clube assinou há poucos dias um acordo com o Centro Deportivo Italiano, reconhecido pela Conferência Episcopal Italiana, no qual se compromete a respeitar "um código ético". O código inclui o cumprimento de horas de voluntariado para os jogadores que cometam "faltas graves" e a destinação de parte do lucro a "trabalhos de apoio para o mundo em desenvolvimento ou a comunidade". Em troca, o Centro Deportivo Italiano se comprometeu a buscar um grupo de patrocinadores para financiar o Ancona. O porta-voz do Vaticano, Federic Lombardi, esclareceu que nem a Santa Sé nem a Conferência Episcopal Italiana participaram da compra de algum time de futebol italiano.

Tudo o que sabemos sobre:
PapaBento XVIAncona

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.