Reprodução
Reprodução

‘Papelão mundial’ e ‘escândalo’: suspensão de Brasil e Argentina ganha repercussão pelo mundo; veja

Jornais internacionais comentam polêmica envolvendo jogadores da Argentina após descumprimento de protocolos sanitários. Com Messi e Neymar em campo, clássico sul-americano tem imagem manchada

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2021 | 18h16

Poucos minutos após a Anvisa entrar no gramado e suspender a partida entre Brasil e Argentina pelo descumprimento de protocolos sanitários, o episódio ganhou destaque nos principais jornais internacionais. O Olé, diário esportivo mais famoso do país rival, classificou o episódio como um "papelão mundial"

"Incrível mas real... nunca antes foi visto um oficial de fora da partida entrar em campo e parar tudo. É o que aconteceu em São Paulo", escreveu o periódico. 

O Clarín, também da Argentina, chamou a suspensão da partida de “escândalo”, assim como o espanhol Marca, que publicou uma foto de Emiliano Buendía, Emiliano Martínez, Lo Celso e Cristian Romero viajando juntos para o confronto com o Brasil. O As, também da Espanha, destacou as informações falsas dadas pelos atletas. "Quatro jogadores argentinos falsificaram seus formulários". 

O The Guardian colocou em sua manchete que as autoridades brasileiras "tentaram deportar" os quatro jogadores argentinos irregulares para a partida. O jornal destacou o comentário de Claudio Tapia, presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), que negou que os atletas tenham mentido. 

"Existe uma legislação sanitária que rege todos os torneios sul-americanos. As autoridades sanitárias de cada país aprovaram um protocolo que temos cumprido ao máximo.", disse. “O que vivemos hoje é lamentável para o futebol, é uma imagem muito ruim."

O italiano La Gazzetta dello Sport escreveu que o jogo foi interrompido "por falta de quarentena", chamando os quatro atletas argentinos de "jogadores da discórdia". Na mesma linha, o francês L’equipe citou uma “violação de protocolos de covid”. 

O jogo entre Brasil e Argentina foi paralisado aos cinco minutos do primeiro tempo quando agentes da Anvisa e da Polícia Federal entraram em campo informando que atletas da seleção albiceleste deram informações falsas ao ingressarem no Brasil. Segundo o órgão eles deveriam ter feito uma quarentena e ser mandados de volta ao país de origem, mas foram escalados para o confronto. Agora, a Fifa determinará os próximos passos para a definição do duelo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.