Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Paquetá elogia movimentação do ataque da seleção: 'Estou sempre disposto a ajudar'

Versátil, jogador flutuou entre o ataque e o meio-campo na vitória sobre o Japão, dando opções para Tite mexer taticamente na equipe

Redação, Estadão Conteúdo

06 de junho de 2022 | 11h42

Pela primeira vez, Tite escalou nesta segunda-feira um ataque formado por Vinícius Júnior, Raphinha, Lucas Paquetá e Neymar. Com este quarteto ofensivo, a seleção brasileira encontrou dificuldades no amistoso com o Japão, mas venceu por 1 a 0, com gol de pênalti, em Tóquio.

Ao fim da partida, Paquetá comentou sua versatilidade no ataque. No amistoso com a Coreia do Sul, na quinta, ele havia atuado na ponta esquerda. Nesta segunda, ele atuou centralizado, logo à frente de Neymar. "Eu comecei por dentro, jogando mais recuado (em comparação ao amistoso anterior). É como eu falo, estou sempre disposto a ajudar a seleção e meus companheiros", afirmou.

O meia-atacante também exaltou a movimentação do time brasileiro, que teve dificuldades diante da forte marcação japonesa. "Foi um jogo difícil, sabíamos que a equipe do Japão viria bem fechada, que ia ser esse grau de dificuldade. Mas tivemos paciência para buscar o gol. As chances foram criadas e com o pênalti do Neymar a gente conseguiu sair com a vitória."

Se Paquetá ganhou chance em nova posição, o lateral-esquerdo Guilherme Arana recebeu a oportunidade de ser titular, na vaga de Alex Sandro, maior candidato a ser o titular da posição na Copa do Mundo do Catar, no fim do ano.

"Estou muito feliz. Eu tenho uma história aqui no Japão, com o ouro olímpico. Fico muito feliz de retornar, disputar 90 minutos. Tenho que desfrutar esse momento que estou vivenciando. Claro que com a ajuda do grupo fica muito mais fácil desfrutar dentro de campo", afirmou Arana.

O lateral tem dois concorrentes na tentativa de ficar com a vaga de reserva desta posição no Mundial. Renan Lodi e Alex Telles estão os outros dois candidatos, que Tite não testou nesta Data Fifa de junho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.