Para a seleção, não é hora de dar show

Por que os craques brasileiros brilham na Europa mas não conseguem encantar jogando pela seleção? Roberto Carlos responde. "É simples. Nos nossos clubes, trabalhamos 11 meses juntos em torno de um objetivo. Na seleção, nos juntamos em cinco dias e temos que fazer a mesma coisa. Ou seja: é impossível", explicou o lateral do Real Madrid.A questão voltou à tona após a magra vitória por 1 a 0 sobre o Peru, domingo, em Goiânia. Nesta segunda-feira, já no Uruguai, adversário de quarta-feira no estádio Centenário, os jogadores continuaram a dar explicações sobre a fraca atuação diante dos peruanos.Roberto Carlos, o segundo jogador mais experiente do atual elenco (só perde em jogos disputados para Cafu, 137 a 117), foi quem mais falou sobre o assunto. De acordo com o lateral-esquerdo, a torcida não pode se iludir, imaginando que a seleção vá dar espetáculo em jogos pelas Eliminatórias. "Nós só conseguimos jogar bem quando temos uns quarenta dias de treino, como é na Copa do Mundo", revelou.Para Roberto Carlos, a seleção pode até pensar em começar a dar ?show? depois que garantir a vaga na Copa de 2006, na Alemanha. "Mas até lá, nosso objetivo vai continuar sendo exclusivamente a classificação", avisou."Enquanto estivermos na luta pela vaga nas Eliminatórias, os jogos serão assim, complicados como foram contra o Peru. Até porque, todas as seleções que enfrentam o Brasil jogam fechadas, principalmente em nossa casa", disse Roberto Carlos.Já o técnico Carlos Alberto Parreira chegou a se irritar com a insistência dos jornalistas em querer saber o motivo de o Brasil não conseguir apresentar um futebol que encante a torcida. "Nosso objetivo é um só: a classificação. Não temos outro objetivo. Só esse. E isso estamos fazendo de forma satisfatória", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.