Paulo Pinto/AE
Paulo Pinto/AE

Para Ademir da Guia, Kaká precisa de ritmo para recuperar a confiança

Ex-jogador do Palmeiras defende o camisa 10 da seleção e diz que espera um melhor futebol contra a Costa do Marfim

ANDRÉ RIGUE - estadão.com.br

19 de junho de 2010 | 06h44

Ídolo do Palmeiras, Ademir da Guia defendeu Kaká e afirmou que o camisa 10 da seleção brasileira precisa de mais ritmo de jogo para recuperar a confiança dentro de campo. O ex-jogador também enalteceu o trabalho do técnico Dunga e disse que o treinador não deve fazer alterações no esquema para o confronto deste domingo diante da Costa do Marfim.

 

Veja também:

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador |

 

O Brasil estreou na Copa com uma vitória por 2 a 1 sobre a Coreia do Norte. Kaká atuou os 90 minutos, mas não teve um bom desempenho. O jogador do Real Madrid errou passes por diversas vezes e ficou sumido em algumas jogadas. Durante a preparação para a Copa, Kaká passou boa parte do tempo em recuperação de lesão.

 

"O Kaká vai evoluir se continuar jogando. Os rivais do Brasil atuarão na pegada mesmo, e só com o tempo o Kaká irá conseguir recuperar a confiança e o melhor da sua forma", explicou Ademir da Guia, que disputou a Copa do Mundo de 1974. "O Dunga só deve tirar ele se acontecer uma queda brusca de rendimento. Mas confio no Kaká", completou.

 

Ademir da Guia também analisou o trabalho de Dunga na seleção. "O treinador levou os jogadores de sua confiança. Ele tem de manter o mesmo time para o jogo contra a Costa do Marfim. Mudar agora é complicado. Espero que neste segundo jogo a equipe apresente um futebol mais bonito, com mais jogadas entre Robinho e Kaká."

 

Se vencer a Costa do Marfim, a equipe de Dunga garantirá a vaga para as oitavas de final da Copa do Mundo. O duelo acontecerá em Johannesburgo, às 15h30 de Brasília. "Acredito que a Costa do Marfim jogará fechada, como fez a Coreia do Norte. Então o Brasil vai ter de superar essa marcação de novo", analisou Ademir da Guia, que brilhou no Palmeiras nas décadas de 1960 e 1970.

 

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.