Aldo Dusek/Estadão - 21/11/2012
Aldo Dusek/Estadão - 21/11/2012

Para Aldo Rebelo, não deve haver protestos durante a Copa do Mundo

Segundo Ministro do Esporte, pessoas estarão mais envolvidas com celebrações ao longo do Mundial

AE, Agência Estado

28 de outubro de 2013 | 16h40

SÃO PAULO - O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse nesta segunda-feira que não acredita que acontecerão protestos nas ruas brasileiras durante a realização da Copa do Mundo de 2014. Segundo ele, o clima será de festa no Brasil por causa do evento, o que vai esvaziar a organização de qualquer manifestação popular. "Durante a Copa do Mundo, haverá muito mais razões para celebrar do que para protestar", disse Aldo Rebelo, ao ser perguntado sobre o assunto em entrevista coletiva nesta segunda-feira, em São Paulo. "Mesmo aqueles que têm vontade de protestar, naturalmente não vão escolher fazer isso durante o torneio."

Em junho, durante a realização da Copa das Confederações, que serve como uma espécie de teste para a Copa do Mundo, o Brasil viveu o ápice das manifestações populares. E muitos dos protestos eram justamente contra os gastos governamentais na competição, concentrando-se nas imediações dos estádios do torneio. Recentemente, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, admitiu que existe a possibilidade de novos protestos durante a realização do Mundial, assim como já aconteceu na Copa das Confederações, mas ressaltou que o esquema de segurança, de responsabilidade do governo brasileiro, funcionou bem quando exigido.

Mas Aldo Rebelo vê um cenário diferente para 2014. "Não acredito que veremos manifestações durante a Copa do Mundo. A Copa do Mundo será protegida pela vontade da população de apoiar um grande evento. O clima será de festa, não de protesto, quando as seleções nacionais e os turistas chegarem ao Brasil", disse o ministro.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014futebolAldo Rebelo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.