Para Betão, Leão não é o único ameaçado no Corinthians

Emerson Leão está abalado pela seqüência de maus resultados do Corinthians, mas o zagueiro e capitão Betão garante que nem por isso o time vai jogar exclusivamente para salvar o emprego do técnico. ?Ninguém aqui está pensando no Leão?, declarou o zagueiro nesta segunda-feira, no Parque São Jorge. ?Nossa imagem também está em jogo. Todo mundo é alvo aqui, por isso não tem essa de jogar pelo técnico.?Mesmo assim, Betão garante que a situação de Leão é tranqüila. ?De todos os técnicos que eu tive aqui no Corinthians, e foram mais de dez, acho que o Leão é o que tem o melhor relacionamento com a diretoria?, disse o zagueiro. ?Então eu acho que o Leão não tem com que se preocupar.?Betão admite que ?o momento é delicado? e que o time ?não é uma máquina?; mas pediu um voto de confiança à torcida. ?A ansiedade só atrapalha. É hora de termos um pouco de paciência, de cautela. Não podemos deixar a pressão que vem de fora nos influenciar.?Chamado de ?burro? no empate de sábado contra o Rio Branco, no Pacaembu, Leão também pediu o apoio da torcida. ?A torcida do Corinthians sempre foi conhecida como ´Fiel´. Não é agora que ela vai deixar de ser?, disse o técnico. ?Eles [os torcedores] podem cobrar à vontade. Mas também podem auxiliar a incentivar o time?.Leão ainda não sabe quem escalar ao lado de Betão na zaga, para o jogo contra o Pirambu, quinta-feira, pela Copa do Brasil. A boa notícia é que Gustavo, que deixou o jogo contra o Rio Branco com o nariz fraturado, talvez possa jogar. De acordo com o médico Paulo de Faria, os efeitos da lesão foram minimizados, e diferentemente do que se imaginava, não será necessário realizar uma cirurgia.O zagueiro Marinho e o volante Rosinei, contundidos, além do lateral-esquerdo Wellington, expulso no jogo de ida, estão fora. O Corinthians empatou no jogo de ida por 1 a 1. Se empatar por 0 a 0 - ou vencer por qualquer placar - segue em frente na competição.TranqüilidadeRevelação do Corinthians, Willian só tem 14 partidas como profissional. Mas fala como um veterano: ?Eu tenho 18 anos, mas tenho tranqüilidade e maturidade. Sabemos o que é preciso fazer para sair da crise. Fico triste com o momento que o clube está vivendo, mas isso não me afeta. Todos aqui sabem de seu potencial e sabem o que fazer para superar esse momento?, disse o jovem meia, promovido no ano passado por Leão. Ele foi um dos poucos aplaudidos no empate por 1 a 1 diante do Rio Branco, no último sábado, no Pacaembu.Além da confiança de Leão, Willian ganhou um novo contrato e um aumento de salário. O jogador tinha mais um ano e quatro meses de vínculo para cumprir, mas a diretoria corintiana preferiu estender até 2010 - sobretudo depois que o lateral-direito Fagner deixou o time em janeiro.Apesar da tranqüilidade, o atleta admitiu que o Corinthians vive ?um momento bem complicado?, mas avisou que o time está ?com a cabeça no lugar? para sair logo da situação incomoda. ?Sabemos que essa é uma semana complicada, que pode definir nosso futuro. Mas temos de pensar em um adversário de cada vez. Primeiro eu penso no Pirambu, depois, no Palmeiras.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.