Para Bonamigo, problema é auto-estima

O primeiro contato de Paulo Bonamigo com o Palmeiras indica muito trabalho. O treinador gostou da forma como os jogadores se aplicaram no empate por 2 a 2 contra o São Caetano, sábado à noite, no ABC, mas apontou uma série de defeitos que precisam ser corrigidos. Um deles é o lado emocional. Bonamigo já percebeu que falta auto-estima à equipe. "Deu para sentir que a equipe está fragilizada emocionalmente. Não adianta trabalhar 500 horas lá no CT se não houver confiança. O lado emocional é tão importante quanto a questão técnica e tática", observa o treinador.Bonamigo também não conseguiu entender porque o time recuou tanto contra o São Caetano, especialmente no segundo tempo. "Houve momentos em que ficamos muito atrás. Quando eu digo que a marcação é importante é verdade, mas com a posse de bola o time precisa ser ousado, tem que sair rápido para o ataque. Mas não podemos esquecer que esse foi só o primeiro jogo. No segundo, sábado, contra o Brasiliense, no Parque Antártica, com certeza o desempenho terá de melhorar".A principal virtude, segundo o técnico, foi a mentalidade de time guerreiro. "O que eu gostei é que o time tomou o segundo gol e não desistiu da vitória. Mostrou mentalidade de time que vai lutar pela vitória até o fim. Esse é o caminho".Bonamigo também vai cobrar os jogadores mais experientes. Entende que eles precisam dar algo mais pelo grupo. Nesta segunda-feira a diretoria palmeirense vai apresentar mais dois reforços: os atacantes Washington, ex-Portuguesa, e o argentino Sérgio Gioino, ex-Universidad de Chile.

Agencia Estado,

24 de abril de 2005 | 16h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.