Para Calderón, Real Madrid é um clube 'complicado'

Ex-presidente revela bastidores de sua passagem conturbada pela equipe merengue de Madri

EFE,

21 de abril de 2009 | 13h12

O ex-presidente do Real Madrid Ramón Calderón, que deixou o cargo em dezembro por supostas irregularidades, disse hoje que o clube é muito "complicado".

"O Real Madrid é um clube muito complicado, que devora presidentes, treinadores e jogadores", afirmou Calderón em entrevista ao canal Al-Jazira Sports, do Catar.

Calderón fez duras críticas a Florentino Pérez, que também já exerceu a Presidência e é apontado como vencedor das eleições do próximo mês de junho."Querem colocá-lo sem eleições, aclamado. Ele tem uma corrente de opinião que quer fazê-lo presidente, e não queria a permanência de Casillas e Raúl. Iker só renovou no último minuto, por causa da torcida, porque Florentino queria Buffon", apontou.

Apesar dos ataques, Ramón Calderón não confirmou se será candidato ao pleito. "Não decidi ainda, embora tenha muito apoio e me peça para voltar diante de tanta injustiça. Gente que não quer que o candidato a ser aclamado à Presidência volte ao clube", afirmou.

Repassando aspectos de seu mandato, Calderón foi duro ao falar sobre o técnico alemão Bernd Schuster. "Fico com muita pena porque dei tudo a ele", disse. "Ele tinha passado por clubes de segundo nível e acabou virando treinador do Real Madrid, contra a opinião de quase todos. Muitos pensavam que Capello devia continuar ou defendiam um técnico importante, por títulos conseguidos", afirmou.

"Não me arrependo de tê-lo colocado no cargo, mas suas declarações me dão pena. Ele se sentiu incapaz de conduzir a equipe e adotou uma posição de abandono", completou.

Além disso, ele revelou situações de jogadores e pedidos de Schuster na pré-temporada - como o argentino Saviola, que mal teve chances e hoje está encostado. Outra reclamação de Calderón sobre Schuster eram os constantes pedidos pela vinda do atacante brasileiro Luís Fabiano, do Sevilla. "Ele o pedia insistentemente", afirmou.

O ex-presidente disse que, se Cristiano Ronaldo vier na próxima temporada, será por seus esforços para trazer o jogador do Manchester United, cujo preço já estaria fixado.

Por falar no clube inglês, ele respondeu o técnico escocês Alex Ferguson, que o criticou. "Respeito muito o Manchester e ele como treinador, mas Ferguson deve ter grandes problemas em sua vida porque parece ser um homem atormentado", comentou. "Ele somente abre a boca para atacar técnicos do Campeonato Inglês e, principalmente, o Real Madrid", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
Real Madrideleiçõesfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.