Para Candinho, o azar atrapalhou

Quem achava que não existia uma maneira de explicar a goleada do Palmeiras sofrida diante do América, por 4 a 1, se enganou. Na noite desta quarta-feira, depois de ver seu time levar a terceira goleada seguida no Campeonato Paulista, o técnico Candinho arranjou uma desculpa para o mau rendimento do time: o azar. "Tivemos azar. Começamos bem o segundo tempo, quando tínhamos um homem a mais em campo e chegamos a acertar a trave deles. Mas não fomos felizes nas finalizações e, por azar, acabamos pagando caro por isso", analisou. Na verdade, o treinador palmeirense foi econômico nas alterações que fez no intervalo. O time voltou para o segundo tempo com apenas uma mudança: Alceu no lugar de Claudecir. Só depois que André Cunha foi expulso é que entraram os atacantes Christian e Warley nos lugares de Diego Souza e Osmar, respectivamente. Talvez temendo o pior, no intervalo, Candinho ainda acusou o árbitro Edílson Pererira de Carvalho de xingar seus jogadores. O América, porém foi o mais prejudicado, já que teve o zagueiro Chicão expulso no final do primeiro tempo e, no começo da etapa final, o Palmeiras desperdiçou pelo menos três boas oportunidades, todas com Ricardinho antes dos 15 minutos. No final do jogo, porém, não havia como colocar a culpa na arbitragem. Depois de perder para Portuguesa (2 a 1), Corinthians (2 a 0) e, agora, para o América o Palmeiras terá a chance de se recuperar diante do Marília, sábado, no Parque Antártica. Roberval Davino, técnico do América, por sua vez, comemorou a vitória dizendo que a imprensa subestimou o poderio americano. "Quase ninguém valorizou o empate (3 a 3) que conseguimos contra o Santos na Vila Belmiro. Todo mundo só falou da demissão do Oswaldo de Oliveira. Contra o Palmeiras, jogamos de igual para igual e vencemos. Atuamos da mesma maneira contra qualquer adversário", enfatizou. Com 19 pontos, o América calcula precisar de apenas mais três pontos para se livrar do rebaixamento. E planeja já liquidar a fatura sábado quando receberá o União São João, de novo, no Teixeirão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.