Para cariocas, Brasileiro será da CBF

Depois de integrantes da Liga Nacional comemorarem um acordo com o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, para realizar o Campeonato Brasileiro de 2002, agora são os dirigentes dos quatro grandes clubes do Rio que celebram um acerto com Teixeira, mas no sentido inverso. Os presidentes do Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco se encontraram na noite de sábado com Teixeira e obtiveram dele a negativa sobre um entendimento com a Liga. O presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, que se encontrou com Teixeira na quinta-feira, disse que as duas entidades serão as responsáveis pela realização do Brasileiro. Outra decisão, na versão de Koff, foi a de que a Liga será reconhecida pela CBF e ficará encarregada de organizar a competição a partir do próximo ano. Mas o presidente do Vasco, Eurico Miranda, contestou as afirmações de Koff. Ele disse que Teixeira lhe assegurou a realização do Brasileiro pela CBF. O dirigente vascaíno contou que, na reunião de sábado à noite, o presidente da CBF também reafirmou o compromisso de privilegiar os Campeonatos Estaduais, em detrimento do Calendário Quadrienal (que esvazia as competições dos Estados). "O Ricardo (Teixeira) disse tudo diferente do que vocês (jornalistas) publicaram", esbravejou Eurico. "Ele falou que não fez acordo nenhum e que a CBF vai organizar o Brasileiro sem Liga." A expectativa desta segunda-feira é com relação a uma reunião entre o Clube dos 13 e a Comissão de Reestruturação do Futebol Brasileiro (CRFB) na sede da CBF, no Centro. O presidente interino da CRFB, Delfim Peixoto, assegurou que as Federações Estaduais de Futebol "lutarão" para que os Estaduais voltem a ter mais prestígio dentro do calendário. Para Koff, como em 2003 não haverá Copa do Mundo, mais quatro datas vão sobrar para os Estaduais. "Isso é muito pouco e não vamos aceitar", disse o presidente da CRFB, representante das Federações Estaduais. Apesar da pressão para que o acordo com a Liga não vá adiante, um funcionário da diretoria da CBF frisou que está tudo certo e só falta a chegada da tabela da competição, elaborada pela nova entidade, para referendá-la.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.