Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Para CBF, Tite continuará sendo o técnico da seleção mesmo após queda na Copa

Treinador deve sobreviver ao resultado negativo diante da Bélgica

Jamil Chade, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

06 Julho 2018 | 22h12

Tite continua sendo o técnico da seleção brasileira, apesar da derrota para a Bélgica nas quartas de final da Copa do Mundo. Ao desembarcar em Moscou vindos de Kazan já na madrugada de sábado (no horário local), a delegação da CBF confirmou ao Estado que o treinador não perde o seu cargo e que não há nem mesmo a necessidade de uma negociação.

+ 'Tomara que Tite continue', diz Carlos Alberto Parreira

+ Tite defende Fernandinho e cobra árbitro de vídeo em lance com Jesus

"Não há nem mesmo um debate sobre isso", afirmou um dos principais dirigentes da cúpula da CBF, na condição de anonimato, ao ser questionado sobre o futuro do comandante.

O presidente da CBF, coronel Antônio Nunes, não escondia sua insatisfação com o resultado e, apressado ao ver a reportagem do Estado, se recusou a falar. Ao ser questionado se Tite continuaria no cargo, apenas murmurou: "Isso é pergunta que se faça?". Sua recusa foi justificada por um assistente: "Ele está muito triste".

A cúpula da CBF, porém, insistia em declarar categoricamente ao entrar pelo hotel de Moscou que Tite continuaria. "O técnico da seleção brasileira é Tite e nos próximos dias a CBF emitirá um comunicado sobre isso", apontou a fonte.

 

Rogério Caboclo, presidente eleito da CBF e que assume o cargo em 2019, permaneceu com a comissão técnica em Kazan e não viajou com o restante do grupo para Moscou.

Outra fonte do alto escalão da CBF também confirmou ao Estado que o plano da entidade é de manter o treinador. Mas indicou que a decisão final terá de vir do próprio Tite. "Ele só não fica se não quiser", afirmou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.