Para Citadini, Dimba e Gilberto estão longe

Para a diretoria do Corinthians, o lateral-esquerdo Gilberto (Grêmio) e o atacante Dimba (Goiás), duas das mais esperadas contratações para esta temporada, estão cada vez mais distantes do Parque São Jorge. O vice-presidente de futebol Antonio Roque Citadini recorreu a um velho ditado popular para definir a situação dos dois atletas. "Sabe aquela história do bonde que passa uma vez na vida da gente e não podemos perder a chance de embarcar. Pois é, acho que o bonde deles passou", afirmou.Citadini deixou claro que o Corinthians não vai esperar pela resposta de nenhum jogador para iniciar novas conversas. "Temos outras opções para cada posição. Não é bem assim essa história de que o Corinthians está esperando pela definição desse ou daquele", explicou o dirigente.O interesse pelo lateral-esquerdo Lúcio, que não renovou com o Palmeiras, é exemplo disso. Porém, o dirigente corintiano faz questão de ressaltar que a negociação não é tão simples como parece. "Não pense que basta pagar R$ 45 mil, R$ 50 mil de salário e está tudo resolvido. Tem outros valores envolvidos", disse Citadini. Acontece que Oliveira Júnior, empresário de Lúcio e dirigente do Ituano, exige que o clube interessado no "pupilo" compre 50% dos direitos econômicos. O valor estaria próximo dos US$ 500 mil e, se isso for confirmado, o Corinthians está fora.

Agencia Estado,

02 de janeiro de 2004 | 17h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.