Jason Cairnduff / Reuters
Jason Cairnduff / Reuters

Para defender Pogba, Mourinho ataca Scholes, ídolo do Manchester United

"Não é culpa de Paul ter ganho muito mais dinheiro que Paul Scholes", fala o técnico português

Estadão Conteúdo

02 Janeiro 2018 | 10h42

O técnico do Manchester United, José Mourinho, atacou o ex-jogador Paul Scholes, ídolo do clube e hoje comentarista de TV, por suas críticas ao meio-campista Paul Pogba. Na função de comentarista, Scholes disse, depois do empate por 0 a 0 do United com o Southampton no sábado, que Pogba estava "apenas passeando nos jogos" e "não parece em forma".

+ Após atuar em todos os minutos do Inglês, Lukaku é reverenciado por José Mourinho

+ Mourinho alfineta City: 'Eles contratam laterais pelo preço de atacantes'

+ Veja a tabela do Campeonato Inglês

"Eu acho que a única coisa que Paul Scholes faz é criticar", disse Mourinho depois de o United vencer o Everton por 2 a 0 pelo Campeonato Inglês na segunda-feira. "Eu não acho que ele comenta, acho que ele critica, o que é diferente. Nem todos nós temos que ser fenomenais como ele era como jogador. Isso não significa que todos nós devemos ser fenomenais".

Mourinho disse achar que Scholes estava com inveja de Pogba, que se juntou ao United no verão de europeu 2016 por 105 milhões de euros (aproximadamente R$ 418 milhões), um recorde mundial no momento da transferência.

"Paul (Pogba) tenta fazer o seu melhor o tempo todo. Às vezes ele joga muito bem, às vezes ele joga bem, às vezes ele não joga tão bem. Não é culpa de Paul ter ganho muito mais dinheiro do que Paul Scholes. É apenas a forma como o futebol é", disse. "Eu acho que Scholes estará na história como um jogador fenomenal, não como um comentarista. Eu prefiro olhar para ele como um jogador fenomenal que deu tanto ao clube que eu tenho orgulho de representar", acrescentou.

Scholes, que disputou 718 jogos pelo United, é um dos muitos ex-jogadores do clube que agora são comentaristas em emissoras britânicas. Gary Neville, Ryan Giggs e Owen Hargreaves também criticaram a equipe em semanas recentes, quando o United empatou três jogos consecutivos no Campeonato Inglês durante o período de festas de fim de ano, deixando a briga pelo título.

Perguntado se ele estava frustrado com o número de ex-jogadores do United trabalhando na imprensa, Mourinho foi irônico. "Eu acho que eles adorariam estar aqui, no clube. Esse é um problema que não consigo resolver".

Sobre Scholes, acrescentou: "Se Paul um dia decidir ser técnico, eu desejo que ele possa ser 25% tão bem-sucedido quanto eu. Cinquenta por cento disso é 12,5%, 25% é cerca de seis. Se ele tiver 25%, ele será muito feliz".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.