Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Pará diz que Soteldo está focado no Santos e torce para venezuelano não sair

Meia está nos planos do Atlético-MG e pode deixar o clube nos próximos dias

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2020 | 18h28

Ao mesmo tempo em que oscila no início da temporada, o Santos convive com uma incerteza que causa preocupação. Destaque do time em 2019, o atacante Soteldo não tem continuidade garantida no clube por estar na mira do Atlético-MG. O tema, evidentemente, foi comentado na entrevista coletiva do lateral-direito Pará, nesta terça-feira, no CT Rei Pelé.

Soteldo ainda não atuou pelo Santos em 2020 por ter sido convocado para defender a seleção sub-23 da Venezuela no Pré-Olímpico, que está sendo disputado na Colômbia. De volta ao time após a eliminação da sua equipe nacional, não foi aproveitado no clássico do último domingo contra o Corinthians, em que o time perdeu por 2 a 0, sob a alegação de desgaste físico.

Pará assegurou não saber se Soteldo teve o seu futuro acertado. Mas afirmou que vê o companheiro feliz durante os treinamentos. E destacou a torcida para que o venezuelano permaneça no clube em 2020, ajudando o Santos a ter êxito nas competições que participa.

"É um atleta que dispensa comentários, um cara que desequilibra. Não sei o que se passa, se vai sair, não toco nesse assunto. Vejo ele dando risada, então acho que está focado aqui e espero que a gente faça um grande ano com ele na equipe", disse.

Sem Soteldo e Marinho, que está lesionado, os pontas titulares do Santos em 2019, o time tem abusado - e sido criticado - pelo excesso de cruzamentos nas partidas. Responsável por alguns deles, Pará assegurou que não se trata de uma orientação do técnico Jesualdo Ferreira, embora sejam treinados com frequência, mas de uma estratégia pelas características dos atacantes que estão sendo utilizados, como os centroavantes Uribe, Raniel e Kaio Jorge, além de Eduardo Sasha, que tem exercido a função com frequência no clube.

"Vai muito da característica dos jogadores. O professor Jesualdo gosta que os laterais apoiem, mas as bolas na área são pelas características dos jogadores. Sasha e Uribe são bons cabeceadores. Procuramos cruzar para eles concluírem em gol. É tudo treinado, no aquecimento antes do jogo vocês podem ver. Esperamos trabalhar bem para que a gente possa colher frutos", comentou.

Com sete pontos, o Santos lidera o Grupo A do Paulistão e voltará a jogar na segunda-feira, quando receberá o Botafogo de Ribeirão Preto, em duelo válido pela quinta rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.