Martin Benetti/AFP
Martin Benetti/AFP

Dunga acredita que Copa América deixará jogadores 'cascudos'

Seleção brasileira tem feito partidas complicadas no Chile

Almir Leite e Gonçalo Junior, enviados especiais a Santiago, O Estado de S. Paulo

22 de junho de 2015 | 07h35

Os jogos sofridos e complicados contra Peru, Colômbia e Venezuela, e os que ainda estão por vir nesta Copa América para a seleção brasileira têm um lado bastante positivo, na opinião do técnico Dunga: deixarão os jogadores mais "cascudos" para as Eliminatórias. A disputa pelas vagas sul-americanas na Copa do Mundo de 2018, na Rússia, começará no próximo mês de outubro.

"Para nós é importantíssimo enfrentar adversários que vamos encontrar nas Eliminatórias, ter essa experiência porque muitos jogadores nunca disputaram partidas assim, onde algumas faltas não são faltas", disse o treinador no domingo, depois da vitória brasileira sobre os venezuelanos por 2 a 1, em Santiago.

Dunga gostou da seleção, apesar do sufoco que passou no final, por ter sde mostrado mais compacta e superado a ausência de Neymar - está suspenso por quatro partidas pela expulsão contra a Colômbia.

O treinador prevê que o time continuará sua evolução na partida de sábado, contra o Paraguai, em Concepción, pelas quartas de final. "O Brasil vai jogar melhor agora, tem mais confiança. As partidas são mais disputadas, mais equilibradas nessa fase e temos que aproveitar nossa qualidade técnica."

Dunga voltou a dizer que a Copa América está sendo marcada pelo equilíbrio e que a prova disso é que até agora todos os jogos que tiveram vencedores, estes ganharam por um gol de diferença - com exceção do Chile que fez 2 a 0 no Equador e 5 a 0 na Bolívia.

Enfrentar o Paraguai, que eliminou o Brasil nas quartas em 2011, não assusta Dunga, embora ele admita que a partida tem tudo para ser bastante complicada. "O Brasil tem que enfrentar a todos. Tem de respeitar a todos, mas não temer ninguém."

Para Dunga, os paraguaios mostraram sua força na partida contra a Argentina, em que estavam em desvantagem por 2 a 0 e buscaram o empate. "É uma equipe complicada na bola aérea, o Ramon Díaz (treinador do Paraguai) é um cara muito tático. Esses jogos agora são como finais", disse.

Se superar o Paraguai, a seleção brasileira enfrentará na semifinal o vencedor de Argentina x Colômbia. A partida também será realizada em Concepción.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.