Para elenco, Luxemburgo é vencedor

Ao longo da carreira, Vanderlei Luxemburgo criou inúmeros desafetos, dentro e fora dos gramados, em razão de sua personalidade forte. Mas são inegáveis os méritos do treinador do Santos, que podem levá-lo a mudar novamente de clube, em janeiro, e se transferir para o Corinthians. Enquanto não decide seu futuro, não cansa de receber elogios dos comandados. "Tudo o que posso dizer dele é que se trata de um treinador ganhador", resume o lateral-esquerdo Léo.Desde que apareceu para o futebol brasileiro, no Campeonato Paulista de 1990, quando conquistou o título com o surpreendente Bragantino, o ex-jogador do Flamengo deu mostras de capacidade. E neste domingo, pode aumentar a galeria de troféus, com o quinto título em Brasileiros. "Ele cobra muito de todos os jogadores, pois sempre sabe o que quer, aonde pretende chegar", conta o zagueiro Cristiano Ávalos, que trabalhou com Luxemburgo pela primeira vez.O treinador construiu boa parte de sua reputação profissional graças ao super-time do Palmeiras, bancado pela multinacional Parlamat, no início dos anos 90. Com o futebol de Roberto Carlos, Edmundo, Edílson Evair, Rivaldo e muitos outros, Luxemburgo venceu dois Brasileiros ? 1993 e 1994 ? e se tornou um dos principais técnicos do País. "A grande virtude dele é a atenção a todos os detalhes que envolvem um campeonato", comentou o meia Preto Casagrande. "Ele sabe motivar o elenco e não deixar que a concentração seja perdida."Depois do Palmeiras, Luxemburgo comandou outras equipes, teve passagem discreta pela seleção brasileira ? pela qual ainda venceu a Copa América de 1999 ? mas voltou a brilhar, de fato, no Corinthians e no Cruzeiro, pelos quais venceu o Brasileiro de 1998 e 2003, respectivamente. Outros números também lhe são favoráveis. Este ano, tornou-se o treinador que mais vitórias colecionou, em Brasileiros: são 182 triunfos, contra 175 de Telê Santana e 155 de Carlos Alberto Silva.Admirado por uns, criticado por outros, o fato é que o treinador deixou marcas na carreira de muitos jogadores. "Sou suspeito para opinar sobre ele, aprendi muito, nestes quatro anos em que trabalhei com ele", disse o centroavante Deivid, também comandado por Luxemburgo no Corinthians e no Cruzeiro. "Tudo o que conquistou, comprova sua qualidade. Qualquer jogador deveria estar feliz por tê-lo como treinador."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.