Gilvan de Souza / Flamengo
Gilvan de Souza / Flamengo

Para espantar crise, Flamengo enfrenta Ponte Preta em estreia pela Copa do Brasil

Sem vencer em casa na série B, equipe alvinegra também passa por momento difícil

Estadão Conteúdo

02 Maio 2018 | 06h42

O Flamengo é uma bomba relógio. Apesar de ter respirado um pouco mais tranquilo graças à vitória sobre o Ceará, em Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro, o time carioca pode entrar novamente em crise se perder para a Ponte Preta nesta quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O time carioca entra na competição por disputar a Copa Libertadores. A partida começa às 19h30 e acontece no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

+ Flamengo vai registrar B.O. para evitar novos atos violentos da torcida

+ Revér prega atenção e atitude diante da Ponte Preta na Copa do Brasil

Assim como nas fases anteriores, o gol marcado fora de casa não vale como critério de desempate. A partida de volta está marcada para a próxima quinta-feira, também às 19h30, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. O adversário das quartas de final será conhecido apenas após sorteio, mas quem passar embolsa R$ 3 milhões.

Ainda sem vencer como mandante na Série B - dois jogos e duas derrotas para Paysandu e Londrina, ambas por 1 a 0 -, a Ponte Preta aposta no apoio da torcida para sair na frente do Flamengo. No Brasileiro, o time foi punido pelo STJD com seis partidas de portões fechados devido à invasão de alguns torcedores no ano passado. Para lotar o estádio, a diretoria fez promoção e colocou os ingressos para arquibancada ao preço de R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).

O técnico Doriva vai precisar quebrar a cabeça para definir a Ponte Preta. Titulares contra o Londrina, o zagueiro Reginaldo, o lateral/meia Danilo Barcelos e o atacante André Luis já disputaram a Copa do Brasil e são desfalques, assim como o zagueiro Léo. Por outro lado, o polivalente Orinho está novamente à disposição depois de cumprir suspensão diante do Londrina. Ele deve fazer a função de um meia pelo lado esquerdo.

"Sabemos da qualidade do Flamengo. É uma equipe que propõe o jogo, impõe seu estilo e deixa a partida mais aberta. Precisamos estar ciente de tudo que o jogo vai oferecer. Vão existir momentos que vamos jogar e tentar ficar com a posse de bola. Mas também vamos ter que defender, jogar como equipe, ser consistente e saber explorar os contra-ataques", disse Doriva, dando um claro sinal de que sua preocupação é defensiva.

O clima é pesado por causa das derrotas na Série B. Além disso, a torcida parece mais preocupada com o dérbi diante do rival Guarani, neste sábado, no estádio Brinco de Ouro da Princesa. O duelo principal da cidade paulista não acontece há cinco anos.

Doriva deve sacrificar o atacante Felipe Saraiva para utilizar três volantes: Natan, Paulinho e André Castro, que entra no time pela primeira vez. Apenas Fellipe Cardoso vai ficar no ataque.

O Flamengo vai ter uma baixa importante. Com uma lesão no ligamento colateral medial do joelho direito, o meia Diego foi vetado pelo departamento médico rubro-negro e sequer viajou com a delegação para Campinas. O técnico Maurício Barbieri testou Geuvânio em seu lugar.

Outro desfalque é o experiente zagueiro Juan, que será poupado pela comissão técnica por conta da sequência de jogos. Assim, Léo Duarte será o novo companheiro de Rever. Essas baixas, porém, não preocupam o treinador, que mostra confiança no elenco que tem em mãos.

"Nosso estilo de jogo é com a equipe toda. Se repararmos bem, já começa lá na frente. O Henrique Dourado tem se dedicado muito para pressionar os zagueiros adversários e os próprios meias. Essa boa marcação e organização defensiva que temos é fruto do trabalho de todos. Os jogos têm demonstrado isso", disse Maurício Barbieri, apostando na força coletiva para agredir o adversário e buscar a vitória.

Mais conteúdo sobre:
futebol Copa do Brasil Ponte Preta Flamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.