Para evitar oba-oba, ordem no São Paulo é não relaxar

Favorito para conquistar a última vaga brasileira para a próxima edição da Copa Libertadores - Corinthians, Palmeiras, Fluminense, Grêmio e Atlético-MG já estão garantidos -, o São Paulo sabe que não pode bobear, mesmo estando com cinco pontos de vantagem sobre o Botafogo faltando três rodadas para o término do Campeonato Brasileiro.

PAULO FAVERO, Agência Estado

14 de novembro de 2012 | 08h34

Um dos exemplos mais citados pelos jogadores é o do Vasco, que tinha uma boa vantagem sobre o próprio São Paulo e acabou derrapando na reta final da competição. Por isso, todo cuidado é pouco diante do Náutico, domingo, no Morumbi.

O técnico Ney Franco já vem colocando na cabeça dos jogadores que a classificação não está assegurada e pede seriedade, mesmo com a torcida em clima de festa por causa da estreia do meia Paulo Henrique Ganso no domingo.

Para o lateral-esquerdo Cortez, o time não pode vacilar. "Nossa equipe tem de focar em permanecer no G-4, pois temos cinco pontos de diferença e não podemos cochilar. Se bobearmos, o Botafogo pode encostar, então temos de encarar com seriedade."

Caso o São Paulo vença o Náutico e o Botafogo não faça os três pontos diante do Sport, fora de casa, a vaga na Libertadores estará garantida. Mas o mais provável é que o time do Morumbi tenha de disputar a pré-Libertadores, pois quem fica em terceiro ou quarto no Brasileirão, ou conquista a Copa Sul-Americana, não entra diretamente na fase de grupos. Para conseguir esta vaga, a equipe teria de ficar na segunda colocação no Brasileirão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.