Para Flu, vencer na Vila não é impossível

Em meio à luta para fugir definitivamente do descenso no Campeonato Brasileiro, o técnico do Fluminense, Renato Gaúcho, e todos os atletas da equipe são unânimes em um ponto. A missão de derrotar o Santos, segundo colocado na competição com 82 pontos, neste domingo, às 16 horas, no Estádio Vila Belmiro, será árdua mas não impossível.Os jogadores do Fluminense admitem que não faltam motivos para respeitar a equipe santista. O Santos tem o ataque mais positivo da história do Brasileiro, com 87 gols em 42 rodadas - média de 2,07 gols a cada partida. Nunca nenhuma equipe havia conseguido assinalar tantos gols quanto o time paulista em 2003. Além disso, o adversário está recheado de ótimos jogadores, como os selecionáveis Robinho, Diego, Elano, Alex, Renato e Paulo Almeida. Sem contar com o eficiente lateral-esquerdo Léo, sempre exaltado pelo técnico Emerson Leão.No time carioca, a semana foi marcada por confusões. Na quarta- feira, o técnico Renato Gaúcho chamou o meia Carlos Alberto e o zagueiro Rodolfo de mentirosos e ameaçou não escalá-los por faltarem ao treino. Os dois jogadores, que serviam à seleção brasileira sub-23, comandada pelo técnico Ricardo Gomes, alegaram que só foram liberados à tarde pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), por isso não apareceram no clube para treinar. Esta informação foi negada pela entidade, o que revoltou o técnico.Na quinta-feira, os atletas explicaram ao treinador os motivos por não terem se apresentado e foram perdoados por Renato Gaúcho. Na sexta-feira, mais tumulto. Durante o treino coletivo, o zagueiro reserva Zé Carlos se desentendeu com o meia Carlos Alberto, destaque do time no Campeonato Brasileiro. Após uma disputa de bola entre os dois, Zé Carlos chutou o tornozelo esquerdo e desferiu um soco de mão fechada na cabeça da jovem revelação. O meia não revidou. O treinador não quis comentar o incidente.Apesar dos problemas, Renato Gaúcho lembrou aos jogadores a importância de conseguir pelo menos um empate no jogo deste sábado, já que uma derrota pode retornar o clube carioca à zona de rebaixamento. "O Bahia e o Paysandu jogam em casa, a Ponte Preta e o Fortaleza podem vencer os jogos que têm. Por isso não podemos bobear", disse, referindo-se aos jogos dos seus adversários diretos na luta para fugir do descenso.Durante a semana, Rodolfo e Carlos Alberto conheceram o atacante Robinho na seleção sub-23, quando enfrentaram as equipes do Corinthians e do Santos a fim de preparar a equipe para o Pré-Olímpico, que se inicia em janeiro. Em meio a brincadeiras, o santista não hesitou em provocar os atletas tricolores. Disse que irá fazer dois gols e dar "muitas pedaladas". O zagueiro Rodolfo ressaltou a habilidade de Robinho, mas disse que o atacante não encontrará facilidade durante a partida."Espero que ele jogue bem, mas a gente vai vencer. O jogo vai ser importante para sairmos dessa situação".Para a partida, Renato Gáucho contará com o atacante Romário, que treinou bem todos os dias e garantiu estar melhor fisicamente. Ele formará o ataque com Marcelo. Para o lugar de Jadilson, suspenso, Júnior César voltará a sua atuar na lateral-esquerda. Jancarlos ocupará a lateral-direita. A única dúvida do treinador reside no meio-campo. Ele ainda não definiu se escalará a jovem revelação Esquerdinha ou o experiente Alex Oliveira, recuperado de contusão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.