Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

Para Godín, eliminação do Uruguai na Copa América foi 'injusta'

Zagueiro se diz 'orgulhoso' dos companheiros após queda diante da seleção peruana

Redação, Estadão Conteúdo

29 de junho de 2019 | 19h18

O zagueiro Diego Godín afirmou que o Uruguai foi eliminado injustamente pelo Peru nas quartas de final da Copa América, neste sábado, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Após empate por 0 a 0 no tempo normal, os peruanos venceram nas cobranças de pênaltis por 5 a 4. O atacante Luis Suárez errou a primeira cobrança uruguaia e chorou muito após a eliminação.

Durante o tempo regulamentar, o Uruguai teve três gols anulados por impedimento, em lances que envolveram a atuação do árbitro de vídeo (VAR).

"Sinto muita tristeza e amargura. Tínhamos muitas esperanças e vontade de passar (às semifinais) e não conseguimos. Buscamos, tentamos, tivemos três gols anulados e nos faltou força para fazer o gol. Estou muito orgulhoso dos meus companheiros", disse Godín.

"No futebol não é apenas merecimento e hoje (sábado) fomos eliminados injustamente. Nos faltou força e nos pênaltis eles acertaram mais do que nós", completou o zagueiro, que deixou o Atlético de Madrid e agora jogará na Inter de Milão.

Ex-companheiro de Godín na equipe espanhola, José Giménez elogiou o sistema defensivo da seleção peruana, muito criticado depois da goleada sofrida para o Brasil. "Fomos a equipe com mais chances claras. Durante os 90 minutos o Peru fez um grande trabalho defensivo e não conseguimos fazer um gol que valesse", afirmou.

"Tínhamos muita vontade de nos classificar, mas isso não aconteceu. Estamos tristes pelos torcedores. Agora é uma outra realidade, temos que levantar a cabeça e seguir em frente", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.